Paulo Panossian*

Enquanto o determinado ministro da economia Paulo Guedes, gastava seu inglês para convencer investidores nos EUA, a aplicarem seus recursos no Brasil, no mesmo dia, infelizmente, o presidente Jair Bolsonaro, na contramão do liberalismo, deixa estarrecidos investidores ao intervir na Petrobrás, suspendendo o reajuste de 5,74% no diesel. Apesar dessa afronta ao presidente da estatal, e de quebra ao ministro Guedes, também, este, mesmo aborrecido, diz que em sua volta ao País, em “uma conversa (com o presidente) concerta tudo”. Será que conserta? O prejuízo já está feito! Não tem volta! Já que, incorrigível, afoito e inconsequente, Bolsonaro, seguindo os passos do PT de Dilma, jogou no lixo a pouca confiança que ainda mantinha com players do mercado. Pior ainda, de graça dá a senha da sua falta de coragem e respeito às regras deste mesmo mercado, e, incentiva a partir de agora, que qualquer categoria profissional tire vantagens, diga-se, nocivas ao País, com ameaças de greve. Que futuro nos espera…

PAULO GUEDES, UM TRATOR

O atual ministro da economia, o Paulo Guedes, parece pela sua elogiável determinação, fazer parte de um governo paralelo, por tantas confusões que se meteu nos primeiros 100 dias de gestão o presidente Jair Bolsonaro.  Como agora, de apresentar um projeto ambicioso que propõe fusão de impostos, menos encargos principalmente para as empresas, podendo a carga tributária hoje em relação ao PIB de 33,58%, cair para 30%, como divulga o Estadão.  Seria o fim da contribuição previdenciária de 20% paga pelas empresas, redução de alíquotas do Imposto de Renda, para empresas e novas faixas para pessoas físicas. E para suprir a queda de arrecadação, sugere a criação de imposto sobre os meios de pagamento com cobrança de 0,8% a 1,2%. E um imposto único Federal, substituindo o PIS, Cofins, IPI, IOF, e possivelmente também a CSLL.  Em estudo também, uma proposta de Jair Bolsonaro, de isentar Imposto de Renda, na pessoa física com rendimentos de até cinco salários mínimos (R$ 4.990,00). Esta é um projeto ousado, que vai exigir do Planalto, habilidade e grau de convencimento, com os governadores, prefeitos, e parlamentares, para ser aprovado ainda neste ano no Congresso. E, se bem estruturado, e chegar a redução da carga tributária a 30% do PIB, como estima a equipe econômica, seria o equivalente, hoje, em menos R$ 210 bilhões, por ano de recolhimento de impostos.  Que elevaria consideravelmente o nível de consumo das famílias, dos investimentos em infraestrutura, modernização do parque industrial, etc. Tomara que dê certo.

CONTA OUTRA PRESIDENTE

Tentar convencer que a ditadura militar de 64, não foi um golpe, como infelizmente, defende Jair Bolsonaro, é o mesmo que, tentar emplacar uma farsa, de que a bela composição reconhecida em todo o mundo, de Ari Barroso, Aquarela do Brasil, era uma valsa, em não um samba exaltação…

CENSURA QUE DENIGRE O PAÍS

Será que um ministro do Supremo, está acima de tudo, e do que rege a Constituição brasileira?!… Ou, que, em hipótese alguma, um ministro da Corte, pode ser investigado por supostos ilícitos, como dos envolvidos, por exemplo, na Lava Jato. Ora, com que direito o ministro do STF, Alexandre Morais, que num ato típico de corporativismo, censura à revista digital Crusué, só porque em matéria de capa, trouxe o presidente do Supremo, Dias Toffoli, por supostamente de forma ilícita, ter sido favorecido, conforme delação de Marcelo Odebrecht?! Que ilha de figuras publicas especiais é esta, como de Toffoli, que não consta na nossa Constituição?  Esta decisão de Morais, fere de morte a liberdade de expressão e principalmente de imprensa!  Uma vergonha!

JAIR E SUA VELHA POLÍTICA

Entendo que a velha politica é aquela praticada por dirigentes públicos democráticos em que somente o diálogo deve prevalecer. Mas, para o nosso presidente Jair Bolsonaro, a velha política, infelizmente, é o mesmo que sinônimo de compra de facilidades ou corrupção!  Porém, este presidente que canta de galo e se vangloria como uma “ilha dos bons costumes”, também pratica aquela velha política que ele diz abominar.   E, dá um péssimo exemplo de mau uso de recursos públicos pelo Planalto! Que vem nos números da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência (Secom) que não somente gastou em publicidade neste primeiro trimestre de janeiro a março, 63% mais que o mesmo período de 2018, da gestão de Michel Temer, ou seja, R$ 44,5 milhões, para R$ 75 milhões, neste ano, como deu mais verbas de publicidade para seus bajuladores. Explico; como no caso da TV Record, que em 2018, faturou entre janeiro e março, R$ 1,21 milhão, neste ano seu faturamento cresceu no Secom 659%, ou seja, subiu para R$ 10,3 milhões. E a TV Globo, que Bolsonaro, diz odiar R$ 7,07 milhões, ou valor menor que do SBT de R$ 7,3 milhões.  É bom lembrar, que, em 2018, neste mesmo período a TV Globo faturou R$ 6,9 milhões, ou 3% menos…   Quando citei que o Bolsonaro, neste quesito de liberar verbas de publicidade oficial não respeita os recursos dos contribuintes, é porque, a audiência da TV Globo, é infinitamente maior do que da TV Record. E, neste caso, o presidente desrespeita milhões de brasileiros que deveriam ver essas peças de publicidade oficial ficam órfãos de informação.  Porém, e pelo jeito, mais interessa ao presidente o jornalismo bajulador, ou a velha política, que diz recusar praticar. E confirmando sua adoração por bajuladores, acaba de conceder ao Bispo, dono da TV Record, Edir Macedo e a sua mulher o passaporte diplomático! Que, outros presidentes, como principalmente, Lula e Dilma, de forma irresponsável concederam também… Bolsonaro, acha que ninguém percebe que ele canta de galo, mas, abandona suas convicções…

VITAL PARA OS PREFEITOS

Pelos cálculos da equipe econômica do ministro Paulo Guedes, se aprovada a reforma de Previdência, sem ser desfigurada pelo Congresso, dos 5.700 municípios do País, principalmente os 2.109 que tem regime próprio de previdência para seus servidores, podem ter um alívio fiscal em 10 anos de R$ 171 bilhões!  E em 20 anos R$ 391 bilhões, como divulga  o Estadão.  Porém, vai depender do apoio incondicional dos prefeitos para aprovação desta inadiável reforma.  E com esse alivio fiscal, certamente, com boa gestão, os 210 milhões de brasileiros é que serão beneficiados com melhores serviços de transporte, saúde, educação, saneamento básico, etc.

PACOTE DOS 100 DIAS

Ora, se Deus, levou 40 anos para entregar a terra prometida aos seu povo judeu, não seria em 100 dias que um presidente da Republica do Brasil, iria entregar todas suas promessas de campanha. Não é verdade? Mas, ao comemorar os 100 dias de seu governo, Jair Bolsonaro (PSL-RJ) disse que cumpriu neste período as 35 metas anunciadas no início de sua gestão! Menos presidente… Das 35 medidas, 17 estão em curso, e outras sem maior detalhamento. Porém, o destaque fica por conta do projeto de independência do Banco Central, combate a corrupção, revogação de 250 decretos, Cessão Onerosa, do 13º salário aos beneficiários do Bolsa-Família (que quebra o discurso do PT, que roubou o Bolsa-Escola criado por FHC…). Porém, quanto ao projeto de legalizar o Ensino Domiciliar, no Brasil, com o qual não temos experiência, não passa de uma medida cosmética, porque poderá beneficiar algo como apenas 7 mil crianças. Sinal que, o presidente, que falhou feio ao indicar um péssimo ministro da Educação, paralisando por 100 longos dias a pasta, não é muito afeito a educação… E, se quisesse dar um passo largo para educação, poderia anunciar uma medida de grande impacto, e das mais importantes para o País! Como de um programa para acabar de vez a falta de quase 7 milhões de vagas nas creches para crianças de 0 a 4 anos. Lógico que, articulado com governadores e prefeitos. Já que, temos algo como 2 mil creches parte prontas que não estão sendo utilizadas, ou com suas construções abandonadas desde a gestão da Dilma Rousseff, que prometeu mais do que poderia entregar. Esta seria uma medida grandiosa com o olhar para o futuro destas crianças, certamente pertencentes a famílias carentes! Ou seja, falta ao Bolsonaro, pensar grande…

PRESIDENTE BLEFANDO

Não é possível! Como que um presidente como o Jair Bolsonaro, tem a petulância de dizer ao vivo e a cores, esse absurdo de que o nosso glorioso Exército, não matou o músico Evaldo Rosa (e quase toda sua família) quando foi desgraçadamente alvejado por 80 tiros de fuzil?! Chamar esta quase chacina de incidente é afrontar a inteligência dos brasileiros. Ora, se até o comando do Exército pediu desculpas, e agiu como deveria, porque dos 10 militares envolvidos neste crime, 9 continuam presos, o presidente não pode ficar blefando com coisas sérias e traumáticas para a família brasileira. Bolsonaro, que fala em Deus, até por atacado, deveria saber que mentir não é coisa de bom cristão…

INTERVENÇÃO NA PETROBRÁS

Lamentável! Depois de um prejuízo de R$ 40 bilhões, causado por intervenção demagoga e populista, que impediu reajuste nos preços dos combustíveis na Petrobrás, por Lula e Dilma, infelizmente, o presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) repete esse desastre, ao não permitir o reajuste de 5,7% do Diesel. Assim como não deveria (como não o fez) intervir no reajuste de 4,33% nos medicamentos autorizado pelo seu governo, e que poderia beneficiar 210 milhões de brasileiros… Ou seja, o presidente desrespeita o livre mercado, e milhares de investidores, na sua maioria composto por trabalhadores. Realmente Bolsonaro, não entende nada de economia! E sem liderança alguma, agora demonstra ter medo de uma nova greve dos caminhoneiros, que, uma meia dúzia de pelegos ameaça fazer se o preço do diesel subir. Ora, aquela estúpida greve dos caminhoneiros em maio de 2018, se alastrou porque o governo de Temer, demorou em tomar as devidas providências, e atacar com a polícia e o próprio exército, os principais focos de concentração dos baderneiros nas estradas. Esses sindicalistas, agora vendo a fraqueza do presidente, podem complicar ainda mais num futuro próximo os resultados desta estatal. Que a duras penas, depois de quebrada pelo PT, se recuperou na gestão de Temer. Ora, quando se pensa que Bolsonaro, depois destes confusos 100 dias de gestão, regados por inúmeras crises, poderia empreender uma administração adulta e equilibrada, dá esse cavalo de pau intervindo na Petrobrás! Que, junto, o dólar subiu, e as ações da estatal na bolsa despencaram quase 9%, e queda também de mais de R$ 30 bilhões no seu valor de mercado…

REGRA DE MERCADO ÁS FAVAS

Infelizmente, Jair Bolsonaro, que nos seus primeiros 100 dias de gestão foi pródigo ao lado de seus filhos e de alguns ministros trapalhões de somente gerar crises, agora toma uma decisão que literalmente manda às favas as regras de mercado. Quando sem cerimônia, como se o Brasil fosse somente dele, o presidente grosseiramente intervém na Petrobrás, impedindo o reajuste de 5,7% no diesel. Desmoralizou a direção desta estatal, e num só dia com a queda brutal de suas ações na bolsa, deu um prejuízo de R$ 32 bilhões, para empresa e a milhares de investidores, inclusive no exterior. O valor deste prejuízo é um pouco maior do que o equivalente um ano do Bolsa-Família. E fica evidente, que, com essa estapafúrdia atitude, Bolsonaro, não demonstra nenhuma aptidão para o cargo. E, merecidamente, carrega o rótulo de intervencionista! Tudo porque, sem capacidade de diálogo, como também com o nosso Parlamento, ficou com medo de uma greve dos caminhoneiros que nem no radar está. Já que, tentaram este movimento dias atrás, e a adesão da categoria foi decepcionante. Porém, e mais doloroso ainda, é que, motivada por essas perigosas trapalhadas do presidente, é que a nossa economia vai mal. Se a perspectiva dos especialistas em dezembro passado era de PIB de 2,55% para 2019, agora a avaliação é de um crescimento de 1,98%. E do banco Itaú, de 2% para medíocres 1,3%. E a urgente criação de novas vagas de trabalho para 13 milhões de desempregados, segue, infelizmente, adiada. Tudo em função de um presidente soberbo, afoito, e que não ouve ninguém. Talvez só seus destrambelhados filhos…

RIO FALIDO E CORRUPTO

Como consequência de uma classe politica que há décadas é corrupta no Rio de Janeiro, nada mais funciona, infelizmente, na outrora cidade maravilhosa! Se nem bueiros são limpos, menos ainda funciona o serviço de saúde publica, há muito um caos! E não bastasse todo esse rol de picaretagem, a população literalmente refém da bandidagem, como das milícias também, nem prédio para em pé…! Como dois prédios construídos irregularmente em área invadida pela milícia, em Muzema, região oeste do Rio, que desabou, deixando feridos, 7 mortos e outros 17 desaparecidos. Uma vergonha! E pelo jeito, sem perspectivas de melhora…

FINALMENTE UM PRESIDENTE

Jair Bolsonaro, finalmente, e com quase 100 dias de atraso, iniciou para valer sua gestão como presidente desta Nação! Já que, para o bem desta República, o presidente antes arredio, deu um passo positivo na prática indispensável e democrática de dialogar com os dirigentes dos partidos, e parlamentares do Congresso. Se tivesse noção desta importância, teria feito esses produtivos contatos logo após sua vitória nas urnas. Porém, espero que, a partir de agora, se distancie definitivamente das tolas crises que protagonizou ao lado de seus arredios filhos! E intensifique essa aproximação com o Parlamento. Que no Brasil, infelizmente, é uma tarefa difícil, porque são quase 30 partidos na Casa! E essa dificuldade ocorreu com a maioria dos presidentes (menos, lógico, com os da ditadura de 64)… Que, para arregimentar apoio precisa de muita habilidade política! Podendo até passar pela oferta de cargos no Executivo! Assim como já indicou três membros do DEM, da bancada evangélica, etc., para seu ministério! Esta é a realidade da “velha politica” que há décadas funciona e bem em países democráticos e desenvolvidos, e não carrega o sinônimo de corrupção que Bolsonaro, infelizmente, insiste em fazer entender. Aos corruptos, a justiça e se possível cadeia! Porém, depois que passou a receber no Planalto, dirigentes da classe politica, percebeu reverberar pela imprensa (que ele odeia) ser esta uma atitude aguardada e positiva, que até seu semblante mudou. Mais leve, espero que, Bolsonaro, tenha definitivamente encontrado esse como único caminho a proporcionar aprovação de projetos durante sua gestão, que resultem em significativos avanços econômicos e sociais. Como do anuncio de medidas importantes que fez na comemoração dos 100 dias de governo. São 18 mediadas, como de 13º para os beneficiários do Bolsa-Família, projeto de autonomia para o Banco Central, ensino domiciliar, revogação de 250 decretos, etc. etc. Ou seja, diferente do que pensam os radicais adeptos do presidente, que mais preferem mimá-lo, certamente as criticas que recebeu nestes 100 dias, dos formadores de opinião, da classe politica e da imprensa, certamente influenciaram para esta sua guinada republicana, de diálogo com o Congresso, e na busca das melhores soluções para o País. Ou seja, finalmente um presidente!

*Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Free WordPress Themes, Free Android Games