Prefeitura realiza obra de drenagem no Distrito Industrial

Local recebe o escoamento de grande parte da água pluvial da região

Araípedes Luz/Secretaria de Governo e Comunicação- PMU

Para melhorar o escoamento da água da chuva do Distrito Industrial, a Prefeitura de Uberlândia realiza a obra de drenagem da Rua Edwards Manoel da Silva. Com 500 metros de extensão, a rua recebe o escoamento de quase toda a água pluvial do entorno. A estrutura de drenagem em execução corresponde à mesma medida da rua e está recebendo a tubulação de 1.200 milímetros.

Com a estrutura correta para receber o volume de água da chuva que passa pelo local, o trecho, que era o único sem asfalto no Distrito Industrial, receberá a pavimentação após a conclusão da obra de drenagem. A execução da obra é com recursos próprios da Prefeitura de Uberlândia, realizada pela empresa Dreste Construtora.

“A região é muito importante para o desenvolvimento de Uberlândia e o trabalho para proporcionar uma estrutura de qualidade tem sido feito constantemente. É a forma de oferecer mais segurança a quem trafega pelo Distrito Industrial”, disse o secretário municipal de Obras, Norberto Nunes.

Melhorias na região

Foram concluídas as melhorias na mobilidade urbana no Distrito Industrial seguem. A construção dos dois retornos na Avenida Antônio Thomaz Ferreira de Rezende e a pavimentação da rua Nordeste foram finalizadas no último mês. Todos esses serviços fazem parte das intervenções realizadas dentro do programa Uberlândia Integrada II.

Nos retornos foram executados meio-fio e abertura do canteiro central. Na rua Nordeste, foram feitos terraplanagem e pavimentação em um trecho de 650 metros entre a avenida José Andraus Gassani e o Anel Viário Norte.

Depen-MG capacita cerca de 500 servidores para ressocialização

Durante todo o mês de novembro, o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) promoveu, por meio da Diretoria de Classificação Técnica, o curso de capacitação e padronização para gestores e integrantes das Comissões Técnicas de Classificação (CTCs). A formação on-line ocorreu nas 19 Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps) do estado.

Fotos: Divulgação / Sejusp

A comissão desenvolve e acompanha ações voltadas para a reintegração das pessoas privadas de liberdade aos meios familiar e social. A instância é composta por direção da unidade prisional, assessoria de inteligência, segurança, analistas técnico-jurídicos, assistentes sociais, psicólogos e profissionais da área da saúde.

As CTCs são responsáveis, principalmente, pela elaboração do Programa Individualizado de Ressocialização (PIR), avaliando os detentos de forma holística. É nas comissões que são avaliadas as condições dos presos para o trabalho e o estudo, além de perfil para transferências de detentos. Elas também gerem todas as informações levantadas pelas diversas áreas de atuação dos servidores de cada unidade prisional.

“A busca pela padronização é uma necessidade, porém, todos sabemos que cada unidade prisional é um universo particular. Passamos a ser muito mais procurados pelos gestores das CTCs, e isso é muito bom, pois revela um cuidado e o interesse em fazer o melhor “, avalia o diretor interino da Diretoria de Classificação Técnica do Depen-MG, Pedro Ramos.

Depen-MG capacita cerca de 500 servidores para ressocialização

Durante todo o mês de novembro, o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) promoveu, por meio da Diretoria de Classificação Técnica, o curso de capacitação e padronização para gestores e integrantes das Comissões Técnicas de Classificação (CTCs). A formação on-line ocorreu nas 19 Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps) do estado.

Fotos: Divulgação / Sejusp

A comissão desenvolve e acompanha ações voltadas para a reintegração das pessoas privadas de liberdade aos meios familiar e social. A instância é composta por direção da unidade prisional, assessoria de inteligência, segurança, analistas técnico-jurídicos, assistentes sociais, psicólogos e profissionais da área da saúde.

As CTCs são responsáveis, principalmente, pela elaboração do Programa Individualizado de Ressocialização (PIR), avaliando os detentos de forma holística. É nas comissões que são avaliadas as condições dos presos para o trabalho e o estudo, além de perfil para transferências de detentos. Elas também gerem todas as informações levantadas pelas diversas áreas de atuação dos servidores de cada unidade prisional.

“A busca pela padronização é uma necessidade, porém, todos sabemos que cada unidade prisional é um universo particular. Passamos a ser muito mais procurados pelos gestores das CTCs, e isso é muito bom, pois revela um cuidado e o interesse em fazer o melhor “, avalia o diretor interino da Diretoria de Classificação Técnica do Depen-MG, Pedro Ramos.

IBGE e Prefeitura fazem primeira reunião planejamento para o Censo 2022

Encontro contou com a presença de diversos setores da sociedade civil; pesquisa socioeconômica vai gerar cerca de 700 postos de trabalho na cidade

Valter de Paula/Secretaria de Governo e Comunicação- PMU

A Prefeitura de Uberlândia sediou, na tarde desta segunda-feira (21), a primeira reunião de planejamento do Censo Demográfico 2022, que será realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A nova contagem populacional, que vai fornecer informações socioeconômicas atualizadas, contará com o apoio da administração municipal e deve gerar cerca de 700 postos de trabalho temporário.

“As informações do Censo 2022 nos ajudam no planejamento da cidade, a pensar políticas públicas na saúde, na educação, na área social, no saneamento básico, nos mais diversos setores. O IBGE tem todo o nosso apoio e peço apoio também aos empresários, à nossa população como um todo, para que atendam o instituto, abram suas portas para o Censo”, disse o prefeito Odelmo Leão.

A princípio, o Censo seria realizado em 2020, mas foi adiado devido à pandemia por Covid-19. Com a perspectiva de retomada plena das atividades no país a partir do próximo ano, o IBGE voltou a planejar a pesquisa populacional. O primeiro censo realizado no Brasil em 1872 e, a partir do segundo, datado de 1990, passou a ocorrer a cada dez anos. O último levantamento do tipo feito pelo instituto foi feito em 2010.

Para auxiliar a pesquisa, a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano já disponibilizou mapas e sistemas de informações sobre a organização da cidade. Um exemplo disso é o projeto Bairros Integrados, que permite um estudo da malha urbana.

Tecnologia e geração de emprego

De acordo com o coordenador de área do órgão federal, Daniel Nunes de Souza, serão criados na cidade oitos postos de coletas espalhados pelas regiões da cidade. “Vamos contar com o apoio dos órgãos públicos e associações para ter estrutura de atuação na cidade, o que inclui espaço para os pontos de coleta, acesso à internet via wifi, mobiliário e segurança”, informou.

Souza também comunicou que o IBGE vai abrir processo seletivo para contratação de quatro coordenadores censitários de sub-área, quatro agentes censitários municipais, 60 agentes censitários supervisores e 627 recenseadores. O edital para contratação dos coordenadores censitários será conduzido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O Censo 2022 está previsto para ser realizado de 1º de junho a 31 de agosto do ano que vem. A expectativa é que as equipes estejam prontas para treinamento até o final do 1º trimestre.

Seminário virtual discute políticas públicas para o uso do controle biológico

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), realiza o X Seminário de Políticas Públicas para o Setor Rural nesta quinta-feira (2/12), a partir das 9h. O evento, gratuito e totalmente on-line, terá “Controle Biológico” como tema e transmissão ao vivo pelo canal oficial da Seapa no Youtube.

Para o superintendente de Inovação e Economia Agropecuária da Seapa e moderador dos debates, Carlos Bovo, a temática é de grande relevância atualmente. “Principalmente quando pensamos em sustentabilidade na agricultura, redução de custos e uso consciente de defensivos agroquímicos, a utilização de agentes biológicos é um importante aliado na produção de alimentos seguros”, explica.

A pesquisadora da Epamig, Madelaine Venzon, também ressalta a importância de informações qualificadas sobre a tecnologia de controle biológico entre agricultores. “As políticas públicas devem contemplar desde o aporte de recursos para a pesquisa, à implantação de programas para adoção das tecnologias já desenvolvidas, treinamentos, incentivos ou subsídios ao produtor usuário”, sublinha.

Nesta décima edição, serão discutidos assuntos como Programa Nacional de Bioinsumos, pesquisas aplicadas em Minas Gerais e casos de biofábricas de sucesso no estado. Para isso, participam das palestras e do debate representantes do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Associação Mineira de Produtores de Algodão (Amipa) e da Secretaria de Municipal de Meio Ambiente de Belo Horizonte.

Políticas públicas

O Seminário de Políticas Públicas para o setor rural é uma iniciativa da atual gestão do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Agricultura, em parceria com outros órgãos municipais, estaduais e federais, além de entidades privadas do complexo agroindustrial mineiro. Os encontros ocorrem desde 2019 e, no último ano, ganharam o formato virtual.

O público-alvo das edições é composto por gestores municipais, agentes públicos estaduais e federais, produtores rurais, entidades representativas do setor privado, pesquisadores e estudantes, entre outros atores da sociedade que tenham interesse nas políticas para o campo. Em média, o evento é realizado com periodicidade bimestral.

Serviço:
X Seminário de Políticas Públicas para o Setor Rural – Controle Biológico

Data: 2/12/2021 (quinta-feira)

Horário: Das 9h às 12h

Transmissão: Canal da Seapa no Youtube