Zema inaugura fábrica da Ambev em Sete Lagoas

Gov. MG/Comunicação

Governador destaca atração de R$ 85 bi de investimentos em dois anos de sua gestão, valor três vezes maior que o que o último governo fez em quatro anos

O governador Romeu Zema participou, nesta segunda-feira (7/12), da inauguração da fábrica de latas da Cervejaria Ambev, em Sete Lagoas, região Central do estado. Foram investidos cerca de R$ 700 milhões no empreendimento, que terá capacidade de produzir 1,5 bilhão de latas por ano. Foram gerados 350 novos postos de trabalho. Zema ressaltou o trabalho de sua gestão na busca de investimentos e, consequentemente, na geração de empregos.

“Este investimento é mais um passo que damos no sentido de criarmos empregos e oportunidades no estado. Em dois anos de governo, já conseguimos atrair para Minas Gerais três vezes mais investimentos do que o último governo fez em quatro anos. São mais de R$ 85 bilhões de protocolos de intenção assinados em 2019 e 2020”, afirmou o governador.

Zema ressaltou a importância do investimento da empresa no município, que demonstra uma vocação muito grande para receber grandes indústrias. “Fico muito satisfeito com este investimento tão grande aqui em Sete Lagoas. É a primeira vez que um fabricante de bebidas também passa a fabricar a sua embalagem”, disse.

Romeu Zema afirmou, ainda, que a gestão eficiente se reflete em resultados positivos em diversas áreas. “Da mesma maneira que o setor privado é criativo, nós temos melhorado todos os indicadores do estado. Sempre houve no setor público a ideia de que só dinheiro resolve os problemas. É a eficiência que melhora o social, salvando vidas, dando melhor educação e mais segurança para a população”, concluiu.

Inauguração

Em agosto do ano passado, Zema participou do lançamento da pedra fundamental do projeto da Ambev. Com área construída de 45 mil metros quadrados, a nova fábrica abriga duas linhas de produção de latas, uma de tampas, e funciona com energia 100% renovável. Além disso, o alumínio usado na produção das latas é brasileiro e 75% reciclado.

O novo investimento se soma aos demais aportes realizados pela empresa em Minas Gerais. Nos últimos cinco anos, a Cervejaria Ambev destinou R$ 2,2 bilhões às operações que possui em Uberlândia, Juatuba e Sete Lagoas, além dos centros de distribuição no estado.

O presidente da Cervejaria Ambev, Jean Jereissati, destacou que com a fábrica de latas os mineiros terão uma bebida produzida 100% em Minas Gerais, desde a receita até a embalagem.

“Quando começamos a construir esta nova unidade, queríamos aumentar a nossa capacidade. Era um projeto olhando o longo prazo. Assim que vimos a alta demanda por latas, aceleramos as obras para conseguir atender este mercado”, disse Jereissati.

Anel Viário

Zema também visitou as obras do Anel Viário do município, que deverá receber 6,5 mil veículos por dia após a conclusão. Foram investidos R$ 7,5 milhões na obra, com 3,3 quilômetros de extensão. A intervenção faz parte do programa Avança Minas, plano de retomada econômica que reúne iniciativas em diferentes frentes de atuação do governo, com um pacote de R$ 100 milhões para obras de infraestrutura em diversas regiões do estado.

O complemento da alça viária rodoviária trará benefícios para Sete Lagoas e para os municípios de Jequitibá, Baldim e Santana do Pirapama.

“Viemos visitar uma obra que foi retomada depois de muitos anos, a Avenida Norte Sul. Uma obra fundamental para que o distrito industrial da cidade fique melhor atendido e possa atrair e gerar mais empregos. São muitas obras paradas em Minas que, com o tempo, vamos conseguir concluir, principalmente para gerar desenvolvimento e empregos”, afirmou Romeu Zema.

O secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, destacou que o programa Avança Minas busca exatamente recuperar recursos e obras que estavam paralisadas há anos.

“Essa obra só foi possível ser retomada devido a um esforço de gestão. Este dinheiro estava parado junto ao governo federal e o nosso governo se mobilizou para conseguir retomar o funcionamento e a execução da obra com um dinheiro que já tinha sido pago pelo governo. Esta obra vai beneficiar o distrito industrial e toda a região”, disse o secretário.

O prefeito de Sete Lagoas, Duílio de Castro, valorizou a parceria do governo do estado com o município e a importância da obra para toda a região.

“A conclusão desta obra vai ajudar muito no escoamento do fluxo de cargas de Sete Lagoas. A gente fica feliz e agradece porque era uma obra muito importante para nós e que ficou paralisada mais de três anos, atrasando e sufocando o escoamento dos produtos. Isso vai consolidando cada vez mais Sete Lagoas como uma cidade com uma vocação muito forte para a indústria”, afirmou o prefeito.

Giro pelo estado

Ainda cumprindo agenda de trabalho em Sete Lagoas, Romeu Zema visitou a OMPI do Brasil, que produz embalagens farmacêuticas de vidro, ampolas, cartuchos e frascos. A empresa, inaugurada em 2017, é a primeira filial na América do Sul. A indústria está com planos de ampliação de sua produção com a realização de novos investimentos. Atualmente, a empresa conta com 275 postos de trabalho e investiu R$ 120 milhões na operação.

Em 2021 serão iniciadas duas novas linhas produtivas de frascos de medicamento. Atualmente, a empresa também está produzindo frascos para a vacina do coronavírus da Johnson & Johnson.

Já no início da tarde, Zema se reuniu com empresários de diversos setores na sede da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Sete Lagoas para ouvir as demandas e falar sobre o trabalho realizado no governo. Zema ressaltou o trabalho de seu governo para desburocratizar processos e melhorar o ambiente de negócios, tornando o estado parceiro do investidor.

Após a reunião com empresários, o governador também participou de um café com o bispo dom Francisco, na Cúria Diocesana de Sete Lagoas. Também acompanharam o governador nas agendas os deputados federais Igor Timo e Lucas Gonzalez, os deputados estaduais Charles Santos e Laura Serrano, o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, o presidente do Indi, Thiago Toscano, e o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Fabrício Torres Sampaio.

Agenda extensa

Também na parte da tarde desta segunda-feira (7/12), o governador cumpre agenda na empresa Vibra Agroindustrial, que atua na produção e comercialização de proteína de frango e pretende expandir a atuação em Minas. Está programada uma série de investimentos nos próximos anos, totalizando mais de R$ 70 milhões e com expectativa de geração de 380 novos empregos.

Atualmente, está em curso a implantação de uma sala de cortes no setor de frigorífico, com investimento de R$ 30 milhões e início de funcionamento previsto para o fim de dezembro ou início de janeiro.

Zema visita ainda a fábrica da Bombril, que expandiu a unidade industrial para produzir linha de detergentes Limpol. O projeto, que teve início em abril deste ano, é fruto de termo aditivo assinado em junho entre a empresa e o Indi (Agência de Promoção de Investimento em Comércio Exterior). O investimento previsto é de R$ 4,3 milhões, com geração de 268 empregos diretos.

Conselho Municipal de Política Cultural realiza eleições para biênio 2021 – 2022

Interessados em disputar uma vaga no órgão pode se inscrever até o dia 10 de dezembro

Secom/PMU

O Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC) convida membros do setor a participarem como votantes e candidatos a membros nas próximas eleições para a composição do órgão no biênio 2021-2022. Como forma de prevenção à proliferação do novo coronavírus, as inscrições de candidatos e o pleito serão feitos de forma remota.

A eleição organizada pela Secretaria Municipal de Cultura selecionará cargos de titular e suplentes em: Dança; artes e culturas religiosas; artes visuais; Artesanato e design; Audiovisual, comunicação social e cultura digital; Circo e culturas tradicionais; Música; Teatro; Literatura, livros e leituras; Consumidores de cultura dos distritos e comunidades rurais; Cultura afro-brasileira, indígena e cigana e outras etnias; e Espaços culturais e produtores culturais independentes.

Para interessados em concorrer a uma vaga, as inscrições serão abertas de sábado (5) até o dia 10 de dezembro e deverão ser feitas por e-mail, com envio da documentação relacionada no edital para o endereço cmpcult@gmail.com.

As assembleias de eleição de cada setor serão realizadas por meio de videoconferência, em cumprimento às medidas sanitárias e administrativas impostas para precaução e prevenção à covid-19 e as normas expedidas pelos órgãos oficiais, entre 14 e 17 de dezembro (Veja o horário da assembleia de cada setorial no edital). Os links das videoconferências serão enviados pela Secretaria Municipal de Cultura ao respectivo representante do setor cultural da sociedade civil, para que seja disponibilizado aos candidatos e eleitores aptos.

Poderão participar e votar nas assembleias dos setoriais das artes e cultura, pessoas ligadas aos seguimentos, identificadas por meio de carteira profissional, declaração ou documento comprobatório da respectiva atuação no segmento ou por autodeclaração de sua atuação e reconhecimento entre os presentes.

Os resultados das votações estão previstos para serem divulgados no dia 18 de dezembro.

CMPC

O CMPC é um órgão colegiado paritário vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, com caráter permanente, consultivo, deliberativo e orientador. Seu objetivo é institucionalizar a relação entre administração municipal e os setores da sociedade civil ligados à cultura. Sua atuação proporciona uma participação da população na elaboração, execução e fiscalização de política cultural.
O grupo é composto por 26 conselheiros titulares, sendo 13 representantes da sociedade civil e a outra metade de membros do poder público (representantes de secretarias municipais, Poder Legislativo, membros do Conservatório de Música Cora Pavan Capparelli, entre outros).
“É um conselho que norteia e dá direcionamento das ações, ajudando no estabelecimento das políticas públicas culturas. É um trabalho construído em conjunto, com participação efetiva da sociedade civil, com acompanhamento e auxílio em nosso trabalho”, destacou a secretária municipal de Cultura, Mônica Debs.

Governo paga terceira parcela do Renda Minas para nascidos em janeiro

Gov.MG/Comunicação

Responsáveis que não receberam em novembro terão as três parcelas quitadas de uma vez

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) faz, nesta segunda-feira (7/12), o repasse da terceira parcela do Renda Minas para os beneficiários nascidos em janeiro. Serão liberados 77.019 pagamentos, totalizando quase R$9 milhões em recursos.

Os responsáveis financeiros nascidos em janeiro que não receberam em novembro, mas tiveram novas contas indicadas na caixa, vão receber, nesta segunda-feira, as três parcelas de uma única vez.

Para saber em qual conta você irá receber, consulte o site www.rendaminas.mg.gov.br.

O Renda Minas é o maior programa de transferência de renda da história do Governo do Estado.

Sistema municipal integrado facilita abertura de empresas

Sistema municipal integrado facilita abertura de empresas
Prefeitura desenvolveu recurso digital para interligar dados a órgãos estadual e federal

Foto: Valter de Paula – Secretaria de Governo e Comunicação / PMU

Para facilitar ainda mais a abertura de empresas na cidade, a Prefeitura de Uberlândia possui um recurso em seu portal na internet chamado “Integrador Municipal”. Por meio dele, os empreendedores conseguem obter uma resposta muito mais célere e eficiente ao requisitarem a legalização de um negócio. Desenvolvida pela equipe da empresa pública municipal Processamento de Dados de Uberlândia (Prodaub), em parceria com a Secretaria Municipal de Finanças, a ferramenta digital interliga a base de informações local com a da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg) e da Receita Federal. (Confira aqui)

“A intenção é proporcionar maior agilidade ao empreendedor, cumprindo toda a legislação vigente. Acredito que o poder público deve sempre ser um facilitador para promover o desenvolvimento do nosso país e é com essa perspectiva que sempre trabalhamos”, afirmou o prefeito Odelmo Leão.

Ao acessar o Integrador, na página de “Empreendedorismo” do Portal da Prefeitura, o empresário já é redirecionado para o canal da Jucemg, onde é feito o preenchimento de dados que possibilitam a criação do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), a certificação urbana para operação do estabelecimento e o cumprimento de outras exigências fiscais. O sistema distribui digitalmente os dados de forma automática entre os órgãos das diferentes esferas, que podem gerar suas autorizações em um clique. Para empreendimentos de baixo risco, que não exigem documentos mais complexos, como estudos de impacto, a abertura chega a ser autorizada em até 48h.

Antes do lançamento do sistema integrado, em outubro do ano passado, parte desse processo era feito manualmente, o que tornava maior o tempo de resposta às análises. Com os requisitos atendidos, os procedimentos agora são concluídos com mais rapidez e praticidade, além de oferecer diversas outras vantagens para o solicitante, como a padronização das informações, integração entre os órgãos participantese plataforma única de acesso pelos usuários.

Para mais esclarecimentos, o interessado pode enviar dúvidas e solicitar mais informações pelo e-mail: integradormunicipal@uberlandia.mg.gov.br.

Mentes terceirizadas

Percival Puggina*

Era coisa bem sabida: fora das grandes cidades, a política nacional pouco ou nada afeta os pleitos municipais. Sim, isso costumava ser verdadeiro. Mas deixa de ser assim num cenário de guerra cultural aos valores da sociedade e se o ataque político à identidade nacional promove sua fragmentação em grupos antagônicos. Diante dessas condutas sinistras e malevolentes, as disputas ideológicas se agigantam e se agitam.

São fraturas abertas no tecido social, estimuladas pela mídia militante. Ela acolhe, com braços e pernas, as teses do globalismo que convergem nessa direção, sempre e sempre apresentadas como “progressistas”. Já são visíveis em todo o Ocidente os resultados desse suposto progressismo. O decorrente enfrentamento motiva e preenche boa parte das opiniões manifestadas nas redes sociais onde conservadores/liberais defrontam a engenharia social dos revolucionários. Esse debate, em ambiente caótico e espontâneo, é detestado por quem se habituou a falar sozinho, sem interlocução, influenciando multidões que, pouco a pouco, lhes foram terceirizando suas mentes. Quanto mais, melhor para os negócios.

Pois isso é exatamente o que me motiva e é disso que vamos tratar aqui. Baixada a poeira das eleições municipais, é certo afirmar que, à exemplo da eleição parlamentar de 2018, a balança da vitória pendeu para os partidos do Centrão. Nada surpreendente. São muitos partidos, bem contemplados com dinheiro fácil do fundo partidário e acabaram colhendo votos de eleitores cujas posições políticas são abrangidas num amplo leque ideológico. Não espantam, portanto, as derrotas de Boulos em São Paulo e de Manuela em Porto Alegre. O que surpreendeu foi a vitória de Edmilson Rodrigues (PSOL) em Belém, onde o galo, solitário, cantou sua “vitória contra o fascismo”. Treinadinho, o Edmilson.

“E os nossos? Quando elegeremos os nossos?” perguntam-me leitores. Eles se referem à possibilidade de serem conferidos mandatos a líderes conservadores e/ou liberais, comprometidos com valores e princípios vitimados pela guerra cultural em curso, tristemente ausentes da realidade sociopolítica e institucional do país. Essa é uma percepção recente, que devemos atribuir ao sucesso eleitoral de Bolsonaro em 2018.

Só que a vida não é assim. Não é assim que as coisas acontecem. Não se elegem políticos de outro padrão nos vários níveis da Federação apenas porque o presidente da República disse em sua campanha algumas coisas que conquistaram parcela expressiva da sociedade. Onde são trabalhadas essas ideias? Onde o partido político? Onde o movimento? Onde as organizações de base? Onde o preparo dos quadros partidários? Onde a captação de recursos? Onde o recrutamento de lideranças? Onde os líderes dispostos a concorrer sabendo que vão perder, uma, duas, três vezes, para firmar posição? Um bom candidato pode ser fruto do acaso; muitos bons candidatos, não. Criado em 2004, só agora o PSOL começa a obter resultados de um longo plantio.

Estamos afoitos se esperamos colher nas lavouras alheias ou, ainda que minimamente, num canteiro que não semeamos. Não é assim que se recuperam para o país tantas mentes terceirizadas à esquerda.

* Percival Puggina (75), membro da Academia Rio-Grandense de Letras e Cidadão de Porto Alegre, é arquiteto, empresário, escritor e titular do site Conservadores e Liberais (Puggina.org); colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil pelos maus brasileiros. Membro da ADCE. Integrante do grupo Pensar+.