Ivan Santos*

O PT não assume os erros dos governos de Lula e de Dilma e transfere ao governo de Michel Temer os efeitos maléficos da crise econômica e social cujo ápice, para o povão, foi a greve dos caminheiros. Pelo menos 70% da massa popular nacional acredita hoje que o atual governo é o responsável pelo desemprego de mais de 14 milhões de trabalhadores e pela piora nas condições de vida das pessoas que vivem em Pindorama. A massa popular insatisfeita e mal informada culpa o governo de Michel Temer pela crise e acredita que a volta de Lula poderá ser a solução para devolver os empregos, o crédito fácil para consumir sem responsabilidade e conquistar a felicidade. Os estrategistas do PT conhecem bem esta situação e, audaciosamente, lançaram uma campanha eleitoral prévia, supostamente liderada pelo ex-presidente, sem se importar que ele seja hoje um político condenado a mais de 12 anos de prisão por improbidade. A jogada do PT é ação desesperada para salvar o Partido nas próximas eleições porque não há hoje no lulopetismo, além de Lula, um nome viável nacionalmente para disputar a eleição majoritária nacional. O nome do PT para presidente é Lula ou Lula. Caso a Justiça negue o registro deste candidato, o PT acredita que ele possa pousar de vítima de algozes da direita reacionária e transferir prestígio político e votos para um fantoche. Para isto uma campanha foi lançada nas redes sociais com um slogan emocional que promete “o Brasil feliz de novo”. Como garantir essa felicidade aos brasileiros, o lulopetismo não explica. Apenas promete que se o povo conduzir Lula ao poder ele devolverá a felicidade aos pobres. A campanha antecipada do PT, através de redes sociais, com um filme estrategicamente montado e no qual o astro vermelho diz que “os poderosos poderão matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a chegada da primavera” é para comover emocionalmente a massa. Palavras, palavras, nada além de palavras. No entanto o povão se encanta com frases de efeito e não com programas de governo. A massa popular não analisa o passado nem se lembra dos estragos produzidos pelos governos petistas na economia e na estrutura social. A Lei da Ficha Limpa, de iniciativa popular, sancionada pelo presidente Lula, não permite que uma pessoa condenada por um Tribunal Colegiado de segunda instância se candidate a um cargo político. A jogada do Partidão é convencer a populaça a aceitar um candidato artificial indicado pelo astro-preso. Propaganda eleitoral antecipada é crime. O marketing lulopetista aplica um bem bolado conteúdo dramático na propaganda antecipada para comover e convencer eleitores a votarem num “poste” do Partido indicado pelo astro popular.

*Jornalista

Free WordPress Themes, Free Android Games