Cientistas da UFU pesquisas sobre fungos

Ascom/UFU

No imaginário popular, quando se pensa a respeito da palavra fungo podem vir à mente os mais variados significados que remetem a alimentos (como queijo gorgonzola), pragas agrícolas ou até mesmo doenças que afetam a pele. Os fungos, no entanto, também podem ser objetos de estudo e pesquisa aplicada para produzir substâncias que tragam benefícios ao ser humano.
É o que mostra a dissertação de mestrado de John Kenedy Rodrigues Pereira Felisbino, licenciado em Química pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e pela Universidade de Coimbra (Portugal) e mestre em Química pela UFU.

John Kenedy Rodrigues Pereira Felisbino é licenciado em Química pela UFU e pela Universidade de Coimbra (Portugal) e mestre em Química pela UFU

A pesquisa intitulada “Identificação de substâncias produzidas pelos fungos Cercospora brachiata, Beauveria bassiana e Verticillium sp e avaliação da atividade antibacteriana” estuda esses organismos vivos da natureza com o objetivo de identificar substâncias bioativas que tivessem atividade contra as bactérias da cavidade bucal humana.
Os estudos, orientados pela professora Raquel de Sousa, tiveram início em março de 2017, com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e foram concluídos em fevereiro deste ano. A defesa da tese aconteceu em 27 de fevereiro.

O estudo dos fungos
Os fungos são seres vivos que pertencem ao Reino Fungi, formados por células que se unem para formar filamentos chamados hifas. Essas hifas formam o tecido do fungo, denominado micélio.
O trabalho sobre os fungos Cercospora brachiata, Beauveria bassiana e Verticillium sp começou com uma sugestão da orientadora de Felisbino acerca de um projeto que buscava investigar as substâncias bioativas que poderiam ser produzidas para atuar contra bactérias da cavidade bucal humana capazes de desenvolver graves infecções e outros tipos de doenças em órgãos como o coração e o intestino.
Na área dos produtos naturais, a produção de substâncias a partir dos fungos acontece por meio de um processo de crescimento e preparo dos caldos dos fungos. Essa etapa aconteceu no Campus Umuarama, com a participação dos professores Ana Carolina S. Siquieroli e Bruno S. Vieira.

A produção de substâncias a partir dos fungos acontece por meio de um processo de crescimento e preparo dos caldos dos fungos

Após a obtenção dos caldos de crescimento, acontece a etapa de preparação dos extratos dos fungos. A última “fase” é a submissão dos extratos a testes antibacterianos pelo método de microdiluição em caldo, para o conhecimento da composição das substâncias.
As substâncias que estão presentes em um extrato de fungo são aquelas conhecidas no universo da química como ácidos graxos de cadeia longa (ácido oleico, linoleico, palmítico, esteárico etc.) e alguns esteroides que já têm propriedade antibacteriana comprovada.
Felisbino conta que uma das dificuldades de realização da pesquisa foi a burocracia e o baixo investimento em equipamentos para o desenvolvimento de metodologias. “No meu caso, fiquei esperando por seis meses para rodar algumas amostras das quais eu necessitava fazer análise, e isso pelo fato do equipamento precisar de um solvente para a calibração”, explica.

As substâncias que estão presentes em um extrato de fungo são aquelas conhecidas no universo da química como ácidos graxos de cadeia longa e alguns esteroides que já têm propriedade antibacteriana comprovada

De acordo com o pesquisador, a relevância da pesquisa pode ser explicada pela tentativa de buscar soluções para problemas de saúde pública, contra doenças que são negligenciadas. Os conhecimentos tradicionais da área foram importantes, segundo Felisbino, no caminho da evolução das metodologias de análise de composição.
“Evoluímos a pesquisa a fim de encontrar novas substâncias que sejam capazes de inibir a ação de microrganismos que já sofreram mutações e criaram resistência a determinados compostos que são utilizados atualmente”, acrescenta. “A atuação da pesquisa científica aliada aos conhecimentos tradicionais me traz certa satisfação pessoal; esse é um ponto relevante da pesquisa”, conclui.
Os próximos passos do químico vão em direção ao projeto de pesquisa de doutorado com o objetivo de encontrar substâncias nos fungos que tenham outras atividades, como a inseticida.

Prefeitura e Eseba compartilham experiências educacionais

Foto: Araípedes Luz – Secretaria Municipal de Governo e Comunicação

“O lúdico na educação infantil” foi o tema do terceiro módulo do curso “Experiências partilhadas” nesta segunda-feira (24). O aperfeiçoamento no formato de formação continuada é oferecido para profissionais da educação infantil e realizado pela Secretaria Municipal de Educação (SME), em parceria com a Escola de Educação Básica, da Universidade Federal de Uberlândia (Eseba/UFU). Ao todo são dez módulos com temas voltados para a educação infantil, permitindo ampliação de conhecimentos teóricos e trocas de experiências por professores e pedagogos. Os encontros tiveram início em abril e continuam até dezembro deste ano no Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz (Cemepe).

Segundo a coordenadora de Ensino da Educação Infantil, Maria de Fátima Santos, da SME, o curso é oferecido para 80 profissionais do magistério público e particular, divididos em duas turmas. Os módulos acontecem no turno da manhã, nas segundas e quartas-feiras. Para cada turma serão ministradas 40 horas de atividades e, ao final, os participantes receberão certificados. “É a primeira vez que estamos fazendo neste formato e nossa intenção é realizar outras edições”, disse.

Para a professora da Eseba, Núbia Sílvia Guimarães, o curso aproxima as redes municipal e federal de ensino e permite uma enriquecedora troca de experiências. “Todos são beneficiados, mas principalmente as crianças, pois os profissionais adquirem novos saberes que depois são transformados em ações práticas”, afirmou.

Curso de Formação Continuada Experiências Compartilhadas

Programação:

Módulos já realizados

– Abril – Apresentando uma proposta
– Maio – Veredas pelas experiências nas/com as linguagens
– Junho – O lúdico na educação infantil

Módulos a serem realizados
– 8 e 10 de julho – Educação financeira infantil e consumismo: Uma questão de valores
– 12 e 14 de agosto – Infância e desenvolvimento: Contribuições da psicologia escolar numa perspectiva crítica
– 26 e 28 de agosto – A relação entre a família e a escola e sua interrelação com o desenvolvimento: As histórias como elementos fundamentais no cotidiano escolar infantil
– 23 e 25 de setembro – A literatura e sua iterrelação com o desenvolvimento: As histórias como elementos fundamentais no cotidiano escolar infantil
– 28 e 30 de outubro – Educação Especial e prática pedagógica
– 25 e 27 de novembro – Corpo, imaginário e infância: Experiências poéticas e pedagógicas
– 9 e 11 de dezembro – Reflexões sobre a avaliação na educação infantil

Câmara se reúne para discutir saúde

Ascom/CMU

Câmara promoverá audiência pública no dia 26 de junho para discutir a saúde no sistema prisional de Uberlândia
A Câmara Municipal, por iniciativa da Comissão de Direitos Humanos presidida pelo vereador Adriano Zago (MDB) promoverá audiência pública no dia 26 de junho, no Plenário Homero Santos – rua Ubiratã Honório de Castro s/n, a partir das 8:30h, para discutir o tema: Saúde no Sistema Prisional de Uberlândia. A audiência é fruto de parceria entre a Faculdade de Direito da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e a Comissão de Direitos Humanos e conta com apoio da Associação de Proteção e Assistência à Família dos Encarcerados e da Pastoral Carcerária.
Segundo o gabinete do vereador Adriano Zago a audiência visa “buscar formas de gerar sinergia entre as ações dos agentes envolvidos nessa relevante discussão com o objetivo de potencializar conhecimentos e práticas, já acumulados, para transformar ainda mais a realidade prisional local, a partir da somatória de esforços ensejada pelo poder público e pela sociedade civil organizada.
Aos participantes da audiência pública serão oferecidos certificados de participação, sendo que para isso é preciso realizar inscrição, preferencialmente, pelo e-mail adrianozago@camarauberlandia.mg.gov.br ou pelo telefone (34)3239-1111. Para a audiência foram convidados gestores do sistema prisional, operadores da saúde no município e representantes do Judiciário, especialmente da Vara de Execução Penal, além dos membros do Legislativo.
Fonte: Departamento de Comunicação CMU/ (Eithel Lobianco Junior) – Jornalista CMU – 8186

Prefeitura aciona Programa Buriti de preservação ambiental

Dmae/Divulgação

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciou neste mês as ações de cercamento das Áreas de Preservação Permanente (APP), relativas à temporada 2019 do Programa Buriti. A expectativa é construir mais de 60 mil metros de cerca linear até o fim deste ano, atendendo a 12 propriedades rurais.

A Fazenda Tenda, primeira propriedade a receber a demarcação de área, contará com oito mil metros de cerca. Situada na região da Tenda do Moreno, pertencente à Bacia do rio Araguari, a propriedade terá 61 hectares de área protegida ao final da ação. Mais de dois mil postes de madeira e 40 mil metros de arame serão usados na localidade.

“Não plantaremos mudas nativas neste momento. O local já tem algumas árvores e o cercamento se encarregará de proteger e reflorestar grande parte da área. Vamos avaliar no decorrer do ano a necessidade de futuras plantações de mudas no local”, explica o supervisor de projetos do Programa Buriti, Celismar Costa.

Ainda conforme Celismar, o cercamento é um investimento a longo prazo, que ajuda não somente na recuperação das nascentes, mas também na preservação da fauna e flora. “Com a técnica, nós protegemos a vegetação local, o que coopera para o processo de regeneração natural das plantas nativas. É uma ação que só traz benefícios para o meio ambiente e para o produtor”, concluiu.

Programa Buriti

O Buriti atua na preservação e recuperação das nascentes nas bacias do Ribeirão Bom Jardim e dos rios Uberabinha e Araguari. Desde a implantação do Programa já foram realizados mais de 451 mil metros lineares de cerca e mais de 350 mil mudas plantadas. Apenas em janeiro e fevereiro deste ano, durante o período de chuva, foram plantadas 63.900 mudas nativas do cerrado em 16 propriedades.

Para se cadastrar no programa, basta entrar em contato com o Dmae por meio de mensagem no Facebook, pelo e-mail programaburitidmae@gmail.comou pelo telefone 3233-2564.

Prefeitura anuncia nova versão do Caderno Informativo

Secretaria de Governo e Comunicação

Importante ferramenta de informações sobre os diversos serviços públicos ofertados na cidade, o Caderno Informativo de Uberlândia está com aversão 2018/2019 disponível no site oficial da Prefeitura (confira aqui). O material é produzido pela Diretoria de Pesquisas Integradas, da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e fornece dados atualizados sobre os equipamentos municipais, estaduais e federais.

O Caderno Informativo destaca, separadamente, as políticas voltadas para a zona rural e zona urbana, contemplando unidades de atendimento comunitárias, itinerantes e de suportes, conselhos e bairros integrados. Pelo documento, pode-se confirmar o endereço, o telefone, o site, o horário de funcionamento, o público alvo e os serviços oferecidos por aquele equipamento social.

Participação popular

O Caderno Informativo é uma ferramenta dinâmica e atualizada das políticas sociais setoriais do Município de Uberlândia. O trabalho realizado está aberto para receber, críticas, sugestões e contribuições por meio do e-mail: cadernoinformativo@uberlandia.mg.gov.br.
**

Free WordPress Themes, Free Android Games