Prefeitura pode árvores no Parque do Saabiá

Foto: Comunicação/Futel

A partir de quarta-feira (23), o Parque do Sabiá receberá os serviços de poda das árvores, realizados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico e pela Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel).

Recentemente, o local passou por vistoria técnica que indicou a necessidade desta intervenção. A poda está programada para acontecer em etapas, prevenindo eventuais desconfortos aos usuários do parque. Esta ação inicial irá de quarta (23) a sexta (25) e vai se concentrar nas árvores de médio e grande porte que margeiam a pista de caminhada no trecho entre a portaria principal do zoológico e o Canil da Polícia Militar.

Para garantir a segurança da comunidade na execução do serviço, será necessária, ao longo dos três dias, a interdição total em 1800m de pista, no período entre 7h e 17h. Durante a noite, a pista estará liberada ao público. “Não haverá nenhum prejuízo aos frequentadores, uma vez que a pista não será totalmente fechada. Apenas esse trecho da lateral do zoológico ficará momentaneamente interditado”, explicou o diretor-geral da Futel, Silvio Soares dos Santos. Ele reforça ainda que a entrada de bicicletas será suspensa durante esse período, no intuito de garantir a segurança para os usuários da pista.

Ação preventiva
O serviço de podas vem sendo executado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico desde o primeiro semestre deste ano. O objetivo é prevenir eventuais quedas de galhos durante o próximo período chuvoso e aumentar a visibilidade e segurança nos locais. A retirada de galhos secos e frágeis diminui os índices de quedas e suas consequências. Nos primeiros meses desse ano, foram catalogadas mais de 300 árvores que caíram na cidade em decorrência de ventos e chuvas fortes.

Nos últimos meses, a equipe multidisciplinar da prefeitura, que inclui profissionais de diferentes especializações, realizou visitas ao local e fez um estudo da vegetação. Vários critérios foram analisados, como a idade das árvores, as condições dos galhos, possível presença de parasitas e o tamanho desproporcional das copas. “Percebemos a necessidade imediata de intervenção. Existem muitas árvores de grande porte com idade avançada, como pés de Eucalipto, por exemplo, com galhos que podem cair com o vento e que prejudicam a iluminação da pista”, afirmou oassessor técnico de Meio Ambiente, Anderson Alves de Paula.

Mais segurança a todos
A poda de árvores é mais uma intervenção para a melhoria da segurança no Parque do Sabiá. Paralelo a isso, a Futel, em parceria com a Polícia Militar e o 9º Pelotão Canil, continua a desenvolver ações de prevenção e combate para melhorar a segurança dos usuários e garantir a proteção do patrimônio público. Os primeiros dois kits de câmeras de videomonitoramento estão em fase de implantação na pista de caminhada/corrida e, paralelamente a isso, as rondas se tornaram ainda mais intensas no interior do parque.

“Seguindo orientações do prefeito Odelmo Leão, estamos intensificando as medidas de segurança aos frequentadores do Parque e aos bens públicos aqui presentes. Queremos que a população se sinta à vontade nesses espaços”, exalta Silvio Soares. As ações têm apresentado resultados positivos, já que de acordo com relatório da polícia, nos primeiros seis meses deste ano houve uma queda de 40% no número de ocorrências em relação ao mesmo período de 2016.

Pesquisa aponta potencial imobiliário de Uberlândia

Informações e foto: Serifa comunicação

Uberlândia (MG) – A segunda pesquisa de análise de mercado imobiliário encomendada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP), junto a Brain Bureau de Inteligência Corporativa (Brain) foi divulgada ontem (21), na sede da Fiemg Regional Vale do Paranaíba, em Uberlândia.

O primeiro estudo referente ao primeiro trimestre fez um compilado abrangente e agora começa a se afunilar traçando uma evolução do mercado e assim construindo uma série histórica desse setor promissor não apenas no Brasil, como também em Uberlândia. O diferencial desta pesquisa foi à inclusão do dado consolidado de vendas, que na pesquisa anterior não constava.

A pesquisa fez um comparativo de vendas entre Uberlândia e Belo Horizonte. No segundo trimestre de 2017, Uberlândia vendeu 419 unidades, sendo 387 residenciais e 32 comerciais. Os imóveis econômicos lideraram as vendas. Foram 206 unidades absorvidas, contra 181 unidades de outros padrões. Ao todo foram comercializados R$ 109.461 milhões
Já Belo Horizonte vendeu 605 unidades, sendo 585 residenciais e 20 comerciais. A capital mineira se sobressaiu com as vendas de imóveis de outros padrões, atingindo 508 comercializações, contra 77 unidades no padrão econômico. Foram comercializados R$ 341.000 milhões

De acordo com a pesquisa, até junho de 2017, o mercado imobiliário de Uberlândia apresentava uma oferta final de 6.893 unidades para o mercado residencial vertical e 34 para o mercado comercial.

Segundo o sócio consultor da Brain, Marcos Kahtalian a pesquisa sinaliza que existe uma baixa oferta de empreendimentos comerciais em Uberlândia. “Com a queda na taxa de juros, o investidor que tem dinheiro parado poderá aplicar em imóveis e daí o comercial volta a ser interessante. Não estou dizendo que as construtoras precisam investir em imóveis comerciais, mas é um dado que merece atenção. Na cidade toda, estão nas mãos das construtoras apenas 34 salas comerciais”, disse.

Ainda de acordo com o levantamento, o ano com mais lançamentos foi 2015, tendo uma oferta de 2.184 unidades para venda lançadas neste período. No segundo trimestre, o mercado de empreendimentos comerciais não apresentou lançamentos, colaborando para a redução da disponibilidade sobre oferta, atualmente em 12,2%.

Já o número de lançamentos residenciais teve uma queda em relação ao primeiro trimestre. Enquanto no primeiro trimestre de 2017 foram 13 empreendimentos residenciais lançados, no total de 1.864 unidades, no segundo foram 9, no total de 1.002. No primeiro semestre de 2017 foram lançados 651 imóveis residenciais a mais que no primeiro semestre de 2016.

Palestra sobre identidade de gênero em Araguari

Texto e foto: Ascom/PMA

A palestra visa informar e orientar educadores da Secretaria Municipal de Educação de Araguari

O Secretário Municipal de Educação de Araguari, Werley Macedo, e a Assessora Especial da Secretaria de Educação, Iara Faria, o Subsecretário José Carlos e a Diretora do Departamento Pedagógico, Rita de Cássia Peixoto e Ávila, e a equipe que os assessora receberam em Araguari o supervisor estadual de Ensino, Naldo Mota, que ministrou uma palestra sobre “identidade de gênero e orientação sexual”.
Houve uma uma discussão sobre a importância da abordagem do tema no âmbito educacional para o combate à discriminação por gênero e orientação sexual. O Palestrante começou discutindo qual é a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual, explicando que a identidade de gênero diz respeito ao gênero pelo qual a pessoa se identifica. Assim, as pessoas cisgêneras se identificam com o gênero atribuído ao nascimento; já as transgêneras não se identificam com o sexo biológico.Quanto à orientação sexual, essa diz respeito ao gênero pelo qual a pessoa se sente atraída afetivo-sexualmente: heterossexualidade, homossexualidade, bissexualidade, pansexualidade, e ainda há aquelas que não se sentem atraídas por nenhum gênero, as assexuais.
Naldo esclareceu que cada coisa é uma coisa. “O sexo biológico, identidade de gênero e orientação sexual são distintos.É de extrema importância que nossa sociedade entenda isso, pois eles definem aspectos bem distintos de uma mesma pessoa, ”esclareceu o Supervisor de Ensino.
O secretário municipal de Educação destacou que esse é um assunto novo que ainda precisa de muitos esclarecimentos para que as pessoas entendam. “São temas muitos debatidos nos tempos modernos. No entanto, ainda é muito comum que as pessoas se confundam com seus significados. E o ideal é que esses temas sejam abordados com qualidade no ambiente escolar; dessa forma, a criança já aprende dentro de sala de aula a respeitar e entender a diversidade, ” destacou Werley Macedo.
“Em tempos de modernidade, quando surgem novos temas e novas formas de análise da identidade humana, é necessário que a educação possa propiciar espaços de conhecimento e reflexão, ” comentou o Prefeito Marcos Coelho (PMDB).

Arnaldo defende debate sobre regimes de tributação

Arnaldo Silva (deputado estadual PR/MG)

Fonte: ASCOM / Texto e foto: Janaina Massote

De acordo com o deputado estadual Arnaldo Silva (PR), os regimes especiais de tributação em Minas Gerais precisam ser revistos. Arnaldo defende um debate amplo sobre o assunto na Assembleia Legislativa (ALMG). Um requerimento de sua autoria, solicitando uma audiência pública, já foi aprovado.
“Nós temos um desequilíbrio da concessão dos regimes especiais adotados em nosso estado. Empresas que acabam de chegar em Minas recebem a concessão e competem com empresas que há muitos anos estão instaladas aqui. Setores iguais, por causa de um detalhe, recebem concessões diferentes”, alertou Arnaldo.
RECUPERAÇÃO – O poder de competitividade em relação aos outros estados que fazem fronteira com Minas Gerais, principalmente São Paulo e Goiás, também é algo que precisa ser recuperado. Além disso, Arnaldo sempre foi contrário a projetos que simplesmente propõem aumento de tributos e que não apontam caminhos para uma política de reestruturação.
“É com a produção, com o empreendedorismo, com o estímulo à geração de emprego e renda que alcançaremos mais desenvolvimento. Temos que ter orgulho de nossas empresas. Aplaudir nossos empreendedores e lutar para simplificar procedimentos, diminuir a burocracia, aumentar incentivos e facilitar investimentos”, concluiu Arnaldo.

BDMG reduz taxas de financiamento para capital de giro

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) reduziu, novamente, suas taxas para financiamentos a micro e pequenas empresas. A partir desta terça-feira (22/8), o capital de giro estará mais barato e poderá ser utilizado para diversas finalidades, como o pagamento de funcionários, equilíbrio do fluxo de caixa, compra de máquinas e equipamentos, reposição de estoque e expansão do negócio, com taxas a partir 1,64% e prazo de até 48 meses para pagar (taxa anterior: 1,71%).
Para as regiões com IDH-M abaixo da média dos IDH-M do estado, a redução foi ainda maior: de 1,55% para 1,48% ao mês, com prazo estendido de até 51 meses para quitar o financiamento. Já o produto Minas Criativa, para o fomento da economia da cultura e do conhecimento, que era a partir de 1,60% ao mês, passou para 1,53% a.m..
A iniciativa tem o objetivo de estimular a economia por meio da atividade empresarial, contribuindo para a geração de emprego e renda. “O BDMG reduz suas taxas de financiamento alinhado aos compromissos do Governo do Estado de Minas Gerais com o desenvolvimento das empresas mineiras e com a retomada da atividade econômica”, pontua o presidente do banco, Marco Crocco.
Em abril deste ano, 18 produtos do BDMG tiveram suas taxas reduzidas em até 3,44 pontos percentuais (ano), alcançando todos os segmentos de atuação da instituição. A revisão permanente dos preços é possível graças à queda na Selic, captações feitas pelo banco com custos mais baixos, redução dos spreads e cortes de gastos internos realizados na atual gestão.

Em Uberlândia servidores municipais participam de treinamento

Servidores municipais participam de treinamento sobre eSocial e recebem informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais serão unificadas em formulário eletrônico.
A Secretaria de Administração (SMA) de Uberlândia vai promover nos dias 24, 28 e 30 de agosto, capacitações com servidores municipais sobre o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial). O tema integra o projeto do Governo Federal de formulário eletrônico e unificação das informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais.
Os servidores e gestores responsáveis pelo setor de recursos humanos e assessoria financeira vão participar dos treinamentos para se atualizarem das normas. A partir de 2018, o sistema, antes usado somente para a contratação de empregados domésticos, será exigido às grandes empresas (faturamento superior a R$ 78 milhões em 2016).
Com o eSocial, os empregadores devem comunicar o Governo, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS. O preenchimento e envio dos dados é feito por meio de um único sistem, destinado às autoridades competentes, como Receita Federal, Ministério da Previdência Social, Instituto Nacional do Seguro Social, Ministério do Trabalho e Emprego e Caixa Econômica Federal.

Free WordPress Themes, Free Android Games