Restos de recessão

Paulo Panossian

Independente da prática nada austera dos nossos governantes, que sobrecarregam sem piedade os gastos improdutivos, esta recessão promovida pelo PT, de Lula e Dilma, como a pior da história, fez com que em três anos, as contas dos Estados, de positivo em R$ 14 bilhões em 2014, passaram para um rombo de R$ 60 bilhões em 2017. Conforme publicado um levantamento feito pelo especialista em constas pública, Raul Velloso, a pedido do Estadão! Como atesta Velloso, se no final de 2014, as receitas e despesas dos Estados, ficaram equilibradas em torno de R$ 929 bilhões, em 2017, até outubro, as receitas somaram apenas R$ 690 bilhões, contra despesas de R$ 715 bi. Não por outra razão que, o nível de investimentos foi reduzido, e muitas obras foram paralisadas. Com outros agravantes, como pela falta de verba, a piora do atendimento a saúde, que já era um caos, e também dos atrasos de salários dos servidores, como ocorrem no Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, etc. E, Raul Velloso, prevê mais dificuldades para os governadores fecharem suas contas neste ano, porque, ao mesmo tempo em que não vão ter condições de zerar seus déficits, pela lei, no último ano de mandato, não podem deixar despesas para os eleitos que vão assumir em 2019. Porque, mesmo com o crescimento do PIB, que pode chegar a 3%, em 2018, o crescimento das receitas não será suficiente para o equilíbrio das contas. A não ser para aqueles Estados, que com responsabilidade foram administrados até o fim de 2017! Como Alagoas (o melhor) seguido do Paraná, Ceará, Maranhão, Piauí, incluindo também São Paulo, e Espirito Santo, com pequeno déficit respectivamente de 0,1% e 0,3%. Os outros, infelizmente, matam cachorro a grito, por obra e desgraça dos camaradas de Lula…

Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Jus esperneandi

Eliana França Leme

Em seu artigo “Jus Esperneandi” (16/01 – Estadão), Eliane Cantanhêde coloca os que são anti-Lula no mesmo pé de igualdade com os pró-Lula, classificando-os como “torcidas”. Embora a intenção tenha sido a de ser objetiva e neutra, pergunto se os que são anti-Lula usam black blocks, depredam patrimônio público, ou apenas exercem o direito constitucional próprio das democracias, de liberdade de expressar-se em manifestações invariavelmente pacíficas, em locais pré-determinados e autorizados. É possível comparar uma manifestação com milhares de pessoas na Paulista, vestidos de verde e amarelo sem registro de um único incidente qualquer, com manifestações de petistas que acabam sempre em quebra-quebra? Não somos “torcidas ” não. Somos, isto sim, cidadãos preocupados com o futuro do nosso país que, nos governos lulo-petistas, tivemos nosso futuro, o dos nossos filhos, netos e de todos os brasileiros, especialmente os mais pobres, totalmente comprometido, sabe-se lá por quantos anos! Não estamos portanto, os que são contra Lula, exercendo o direito de ” jus esperneandi”, isto porque nossa questão não é “espernear”, mas apoiar a sentença já proferida de Sergio Moro, de 9 anos e meio de prisão. Então, porque iríamos espernear? Bobagem! Quem não se cansa de espernear da forma mais grotesca possível, são os fanáticos petistas, que programam levar a desordem a Porto Alegre, onde Lula será mais uma vez julgado pelo caso do triplex no Guarujá. Nós intencionamos nos manifestar nos grandes centros, na véspera do dia 24/01, novamente em verde e amarelo, apenas com palavras de ordem, cada qual por sua conta, sem ônibus fretados, sem parafernália paga por sindicatos com muito gasto envolvido. Nossos anseios são diferentes, são na em prol da Justiça e são e serão sempre pacíficos, com a devida anuência de autoridades. E o desejo maior de todo cidadão de bem, que fique bem claro, é que todos sejam considerados iguais perante a Lei e que a sentença de Moro seja confirmada pelo TRF4 por apenas um dos crimes que Lula foi acusado, sem mencionar os tantos outros. Tomara que a Justiça seja feita, pois motivos não faltam. Por tudo isso, não queremos pois ser medidos pela mesma régua. Até porque quem tem ameaçado os desembargadores não somos nós que pedimos justiça, mas aqueles que querem impedir que a Justiça cumpra seu papel.

Eliana França Leme
Psicóloga

Orgia das passagens

Paulo Panossian*

O nosso Brasil, somente será uma nação desenvolvida, se os nossos dirigentes do Executivo, Legislativo e Judiciário derem um fim a orgia permitida no uso dos recursos dos contribuintes. Fato esse que a nossa imprensa vem denunciando há tempos, sem que se tomem medidas moralizadoras! E para indignar mais, o Estadão, nos revela também que a Câmara dos Deputados, paga para os parlamentares passagens na primeira classe de até R$ 45 mil, ou 48 salários mínimos, para viagens ao EUA, Leste Europeu, Ásia, etc. Um escândalo! E que, entre 2015 e 2017, a Casa, patrocinou a compra de 1,4 mil passagens, ao custo de R$ 7,6 milhões, ou 8,1 mil salários mínimos. Só o radical deputado Jair Bolsonaro, por conta de sua pré-campanha para o Planalto, entre 2015 e 2016, gastou em passagens pagas pelo contribuinte R$ 362 mil, ou 386 salários mínimos! Que se tivesse dignidade institucional deveria usar recursos do seu próprio bolso… Também, sem se importar com os gastos públicos, os parlamentares da Câmara e do Senado, utilizam centenas de milhões de reais de verbas parlamentares, sem que sejam fiscalizados devidamente. Se configurando essa Pátria, como dos especiais, ou privilegiados servidores públicos do alto escalão! Que sem se ruborizar, recebem auxílio-aluguel de quase R$ 5 mil por mês! E até auxílio-paletó, porque com os salários que recebem em torno dos R$ 33 mil, se dizem impossibilitados de comprar suas roupas para ir ao trabalho. Coitados… Ou seja, o que fariam esses esnobes, ou exploradores da Nação, se para inclusive sustentar suas famílias, recebessem salário mínimo de R$ 937,00 por mês, como ocorre com mais de 20 milhões de dignos trabalhadores brasileiros?!…

Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Sucesso dos homens do ENEM

Paulo Panossian*

Apesar das mulheres serem a maioria no Enem de 2017, 72%, das mil melhores notas deste exame, ficaram nas mãos dos homens, conforme publica o Estadão! Como em Matemática, e Ciências da Natureza (física, química e biologia) em que os homens se destacaram. Já nas notas de redação as mulheres deram um show! Ou seja, 70% das mil melhores notas ficaram com as meninas! Também impressiona o número de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com 4,85 milhões de estudantes. Sendo 57,4% de mulheres, e 42,6% de homens. Dos que tiraram as melhores notas, 87,5% estudaram somente em escola privada, sendo 11,6% destes com bolsa integral. Outros 4,4%, estudaram parte em escola privada e publica. E somente 8,1%, do que tiveram as melhores notas estudaram em escola pública. No quesito gênero e raça, somando as médias apuradas das notas das matérias de Matemática, Ciências da natureza, Ciências Humanas e Linguagens, os homens brancos tiveram 6,62% de desempenho melhor do que dos negros. Já entre as mulheres, as brancas tiveram médias 5,7% superior, com relação às meninas negras. Por esse ângulo, a diferença apurada nas notas entre estudantes brancos e negros, não é nada constrangedor! O importante, é que, esses números disponíveis do Enem, de 2017, não sejam desprezados! E que, as autoridades da área, encontrem saídas competentes, para que todos os jovens que estudam em escolas públicas tenham um nível de educação com muito mais qualidade.

AI MEU DEUS DO CÉU

Senhor Gilmar Mendes, neste mundo globalizado, os brasileiros que andam abusando do poder nesta terra tupiniquim, não vão ter sossego tampouco passeando no exterior, como o senhor está gozando suas férias em Portugal. E por ter como ministro do STF, livrado estranhamente da cadeia até amigos condenados na Lava Jato, indignando a todos nós, é que duas senhoras brasileiras o interpelaram em Lisboa, dizendo “o senhor é de uma injustiça imensurável! O senhor não tem vergonha na cara?”. Gilmar, surpreso, apelou para o divino, resmungando “ai meu Deus do céu”, na tentativa de espantar estas senhoras! O ministro deveria saber que povo não é injusto! Já que, personalidades brasileiras que servem a Nação, com dignidade e respeito, como exemplos, o juiz Sergio Moro, e FHC, são aplaudidos por onde passam, inclusive no exterior…

IMPOSSÍVEL BEM-ESTAR

Parabenizo o Estadão, pelos constantes editoriais publicados, que estão servindo de alerta a nossa sociedade e principalmente a classe política, quando ilustram o caos das nossas contas publicas, e principalmente o relativo ao rombo cada vez mais crescente do déficit da Previdência. E neste publicado em 14/01/18, no jornal com título “A conta do Estado do bem-estar”, os números sobre o rombo da Previdência, não podem mais serem ignorados! Como o que apresentou até outubro de 2017, um déficit de R$ 257 bilhões, ou 12%, superior ao ano anterior! E como causa maior deste descalabro financeiro, os servidores públicos federais recebem 13 vezes mais que os aposentados do INSS (ou setor privado) e os estaduais 8 vezes mais. Infelizmente, esta é uma triste constatação consagrada no Brasil, em que os recursos dos contribuintes destinados ao “Estado de bem-estar”, pelo jeito devem privilegiar somente aos servidores públicos, em detrimento dos aposentados do setor privado… Porém, a situação da Previdência, é tão preocupante que dos 25,7% do que o Brasil, gasta com seu Estado de bem-estar, em 2016, 13% foram utilizados para despesas da Previdência, e sobrando apenas 6% para a educação, e míseros 4,5% para saúde! Ou seja, como muito bem diz o especialista em contas públicas, Mansueto de Almeida, investimos pesado no passado e muito pouco no futuro…

RESTOS DE RECESSÃO

Independente da prática nada austera dos nossos governantes, que sobrecarregam sem piedade os gastos improdutivos, esta recessão promovida pelo PT, de Lula e Dilma, como a pior da história, fez com que em três anos, as contas dos Estados, de positivo em R$ 14 bilhões em 2014, passaram para um rombo de R$ 60 bilhões em 2017. Conforme publicado um levantamento feito pelo especialista em constas pública, Raul Velloso, a pedido do Estadão! Como atesta Velloso, se no final de 2014, as receitas e despesas dos Estados, ficaram equilibradas em torno de R$ 929 bilhões, em 2017, até outubro, as receitas somaram apenas R$ 690 bilhões, contra despesas de R$ 715 bi.  Não por outra razão que, o nível de investimentos foi reduzido, e muitas obras foram paralisadas. Com outros agravantes, como pela falta de verba, a piora do atendimento a saúde, que já era um caos, e também dos atrasos de salários dos servidores, como ocorrem no Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, etc. E, Raul Velloso, prevê mais dificuldades para os governadores fecharem suas contas neste ano, porque, ao mesmo tempo em que não vão ter condições de zerar seus déficits, pela lei, no último ano de mandato, não podem deixar despesas para os eleitos que vão assumir em 2019. Porque, mesmo com o crescimento do PIB, que pode chegar a 3%, em 2018, o crescimento das receitas não será suficiente para o equilíbrio das contas. A não ser para aqueles Estados, que com responsabilidade foram administrados até o fim de 2017! Como Alagoas (o melhor) seguido do Paraná, Ceará, Maranhão, Piauí, incluindo também São Paulo, e Espirito Santo, com pequeno déficit respectivamente de 0,1% e 0,3%. Os outros, infelizmente, matam cachorro a grito, por obra e desgraça dos camaradas de Lula…

*Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Elucidando a regra de ouro

Paulo Panossian*

Agora, entendi com mais clareza do importante significado para as contas públicas, com a criação da regra de ouro, depois de ler o excelente artigo do senador José Serra (PSDB) publicado no Estadão! O título já diz tudo “Uma regra que vale ouro”. Esta regra que foi instituída na constituinte de 1988, por sugestão do então deputado, também ex-prefeito do Rio, Cesar Maia, e que teve como relator o autor do artigo em questão, o José Serra! E o objetivo desta importante regra que está inserida no artigo 167 da Constituição, é impedir, como se um dique fosse, para barrar gastos irresponsáveis do governo federal. Embora respeitada até aqui, porém, a gestão Temer, ensaiou desfigura-la, querendo se endividar mais, só para saldar gastos correntes, que justamente neste caso a regra de ouro não permite! Mas, pela grande polêmica causada, felizmente o governo abandonou esta esdrúxula ideia! E como explicita Serra, “o espírito da regra de ouro é este: estimular os governos a poupar e investir”! Como em obras de infraestrutura, propiciando redução de custos, aumentando a produtividade, e também criando empregos. Ou seja, estímulo para gerar exclusivamente riqueza…

POLÍTICOS REBAIXAM O PAÍS

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s, infelizmente, acaba de rebaixar a nota de crédito do Brasil. Nenhuma surpresa! Estava previsto! Por quê?! Ora, uma classe politica, como a nossa, principalmente a que compõe o nosso Congresso, que não consegue se sensibilizar com o monstruoso déficit fiscal de legado da desastrada administração petista, que carregamos desde 2014, e que neste ano deve se repetir o mesmo de 2017, de R$ 159 bilhões, não pode ser parceira, ou amiga desta Nação!  E tampouco, chamados de dignos representantes do povo…  Ou seja, só pode ser creditada a essa classe, o rebaixamento da nota do País!  E que não joguem essa conta nas costas da equipe econômica, que vem com muita competência fazendo a sua parte.  Na realidade, são políticos que estão traindo a Nação! E mais sabem deixar o Planalto, de joelhos com suas chantagens espúrias! Classe essa que se nega a aprovar a reforma da Previdência, em que seu déficit esta quebrando o País! E neste ano de 2018, deve deixar um buraco nas contas públicas de mais de R$ 200 bilhões!  Também, um Congresso, que cria seus refis beneficiando inclusive empresas de parlamentares, quase zerando juros e multas para os inadimplentes, como jamais visto na nossa história. E para ajudar esse descalabro, o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, corporativista, deu uma liminar que impede neste ano, a suspenção do reajuste dos servidores públicos federais, e o aumento também da cota previdenciária destes de 11% para 14%! Prejudicando duramente a redução de gastos do governo, justamente neste momento que o nosso déficit publico se agrava.  É certo, porém, que, o rebaixamento da nota de crédito do Brasil, não vai incomodar a classe política, que vai continuar obsessivamente desfrutando com suas orgias, os recursos dos contribuintes…

Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

 

Intocável regra de ouro

Paulo Panossian*

O governo poderia ter evitado mais esse desgaste político quando, infelizmente, pleiteava suspender a “regra de ouro” até como sugestão do ministro da fazenda Henrique Meirelles! Pela pressão dos especialistas em contas públicas e analistas econômicos, Temer, volta atrás e desiste desta literal aventura… Esta regra de ouro contida no artigo 167 da Constituição de 1988, como diz em sua entrevista no Estadão, o procurador do Ministério Público, junto ao TCU, Júlio Marcelo de Oliveira, sua possível suspensão é o mesmo que “quebrar o termômetro da febre”. Já que, proíbe que o País, se endivide mais para pagar despesas correntes. E se fosse consumada sua suspensão, um irresponsável descontrole fiscal poderia definitivamente inviabilizar a recuperação da nossa economia, e difícil seria entregar o prometido, e já gigantesco déficit fiscal previsto para 2018, de R$ 159 bilhões. Além do mais, a nota de crédito do País, seria rebaixada pelas agências de risco! Porém, o governo pode muito bem gerar mais receitas para melhorar o equilíbrio fiscal, cortando gastos, suspendendo o reajuste do funcionalismo público, eliminar a desoneração fiscal para as empresas, etc. Gorduras não faltam para tal… Ou o governo está escondendo a realidade dos números das contas públicas?!…

DESILUSÃO COM FUTURO

O Frei Beto, em seu artigo no jornal O Globo, disse que, “No passado o futuro era melhor”. Mais justo seria, se nesta sua frase, incluísse também que a desilusão com o futuro o Brasil, hoje, se deve muito mais aos seus amigos petistas Lula e Dilma, que quebraram o País. E, infelizmente, promoveram o aumento da pobreza, hoje em mais de 50 milhões de pessoas…

Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Free WordPress Themes, Free Android Games