Temer ou Dilma?

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

Dilma Temer ou Michel Rousseff, não sei qual dos 2 é o pior. Um fala bem, mal. A outra fala mal, pior. Para o Brasil a salvação passa por milagre. Oremos então. 2018 está próximo e caberá a nós o expurgo desta classe política parida a forceps e que tanto mal causou aos brasileiros.

*Economista

Barraco no MPF

Diversas mídias escrita e falada divulgaram recente um teor que me deixou impressionada. Dizia textualmente : ” Rodrigo Janot é desafeto de Raquel Dodge” . Não acreditei no que estava ouvindo. Pensei : será que a Rocinha , Alemão e/ou Maré se instalaram em Brasília e precisamente na sede daquela entidade? Divergências até aceito mas dizer que um é desafeto do outro é demais para mim. Só faltam escolher as armas.

Íria de Sá Dodde
Professora

A fonte da Liberdade

Paulo Panossian*

O sistema democrático é a única fonte da liberdade de expressão! Somente com ela é que podemos ter vóz, e eleger não somente nossos dirigentes públicos, mas também as nossas prioridades, respeitados os preceitos da Constituição! Neste sentido é oportuno este editorial “Em defesa da democracia”, publicado no Estadão! Mesmo porque, com a crise econômica, política e ética que infelizmente convivemos, escombros da era petista, demagogos e salvadores da Pátria, estão perigosamente se apresentando ao eleitorado tupiniquim. E como destaca o editorial do jornal, um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), hoje no Brasil, apenas 8% da população concorda com a afirmação de que “um governo formado por representantes eleitos é muito bom”. É verdade que o povo nestes últimos três anos, cansou e está indignado não somente com a corrupção praticada pela nossa classe política, mas, com a derrocada da nossa economia e do pico de 14,2 milhões de desempregados de herança do PT. Porém, é bom lembrar que, quem democraticamente elegeu o Lula, a Dilma, e a parte podre e corrupta de políticos, não foram os ETs. Ou seja, nós precisamos também assumir os erros de nossas escolhas nas urnas, dádiva esta somente permitida nos regimes democráticos. E que tampouco em regime de exceção poderíamos participar e ver divulgadas pesquisas de opinião como desta feita pela FGV, na qual, atesta que 83,2% dos entrevistados veem com desconfiança o presidente Temer. E 78,3% e 78,1%, veem respectivamente também com descredito políticos com mandatos e os partidos. Ou seja, passados mais de 30 anos de triste memória da ditadura no Brasil, desprezar, contestar, e até negar a viver num regime democrático, é o mesmo que se aprisionar, ficando no isolamento político, social, e ser manipulado como bonecos por ditadores…

DÓRIA SOLTA A LÍNGUA

Em evento em Goiânia, o prefeito de São Paulo, João Dória Jr., solta a língua e diz “Sou diferente da média do PSDB; não ando em cima do muro”. E para demonstrar que é diferente de boa parte dos tucanos acrescentou, prefiro ter opinião a ser chamado de “covarde”. É uma declaração muito forte! E atinge também Geraldo Alckmin, já que, o governador é um politico tranquilo, não ataca opositores como deveria em momentos cruciais da politica brasileira… Ou seja, será este um claro sinal de Dória, de que pode sair do PSDB, para tentar o Planalto em 2018?!… Ora, se os tucanos já convivem com um pesadelo do problema do Aécio Neves, e também com a ala de deputados chamada de grupo rebelde dos “cabeças pretas”, somado a esse duro ataque contra o próprio partido, feito pelo prefeito, a fragmentação que já existe tende a piorar dentro do PSDB…

TEMER BOM DE DIÁLOGO

Independente das denúncias de corrupção que têm nas costas o presidente Michel Temer, comprova mais uma vez que é um político competente na arte de dialogar com os congressistas. E nesta segunda e mal formulada denúncia do vingativo Rodrigo Janot, o presidente sem atropelos saiu novamente vitorioso na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, com placar de 39 votos a favor e 26 contra. Ou seja, somente dois votos a menos, do resultado de 41 votos a favor e 24 contra, da primeira denúncia! E certamente no próximo dia 25, na votação final do relatório no plenário da Câmara, o resultado não será muito diferente da primeira denúncia, em que Temer, se livrou da suspensão de seu mandato com 263 votos. Já a oposição sem discurso convincente conseguiu somente 227 votos dos 342 necessários. Porém, não conforta saber que o presidente tem apoio suficiente para se safar desta segunda denúncia! É de se lamentar que o País, foi extremamente prejudicado desde final de junho deste ano quando da primeira denúncia do irresponsável ex-Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. E que ao longo destes quatro meses de desnecessário evento, impediu que a improrrogável Reforma de Previdência, já estivesse aprovada! Além do mais, prejudicou também o andamento da árdua tarefa que o governo empreende para recuperar a nossa economia, e empregos perdidos! O País, não pode mais conviver com esse tipo de protagonismo rasteiro de parte dos nossos dirigentes públicos. Esta é uma Nação, infelizmente ainda pobre com milhões de brasileiros ao relento…

*Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Temer ou Dilma

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira*

Dilma Temer ou Michel Rousseff, não sei qual dos 2 é o pior. Um fala bem, mal. A outra fala mal, pior. Para o Brasil a salvação passa por milagre. Oremos então. 2018 está próximo e caberá a nós o expurgo desta classe política parida a fórceps e que tanto mal causou aos brasileiros.

*Economista

Neologismos

Formado em Direito a mais de 14 anos, pela primeira vez vejo que o termo Inventário tem outro significado que a relação de bens do “de cujus” e nominata de herdeiros. No pós moderno inventário está mais para Invenção.

Claudio Juchem
Advogado e orientador financeiro

Legalidade X Moralismo

Eliana França Leme*

A bem da verdade, fica difícil não sentir um certo alívio por ter o Senado devolvido a cadeira de Aécio e o ter liberado do recolhimento noturno, com perda de passaporte. Não porque não tenha cometido delitos, mas porque parece que a penalidade imposta não foi aplicada conforme manda a Lei. Viu-se ministros defendendo o afastamento usando critérios subjetivos, de caráter moral, citando como exemplo os ministros Fux e Barroso, quando o julgamento deveria ser focado no aspecto meramente jurídico.
O grupo de ministros mais à esquerda, como são chamados, resolveu então, um tanto arbitrariamente e de forma previsível, confirmar a punição a Aécio, contrariando até mesmo a Constituição que é clara a este respeito, ou seja, só pode perder seu mandato, o parlamentar que cometeu crimes inafiançáveis e de gravidade excepcional. Afinal, Aécio sequer foi investigado, não teve direito à defesa. E se fosse o caso, tal decisão deveria ter partido do Senado. Assim, avançaram nas prerrogativas da Casa, que por óbvio, se sentiu invadida e ameaçada em sua autonomia. Desta forma, Aécio não foi absolvido. Vai responder a processo, como manda a Lei e como já estão respondendo alguns senadores, como a já ré Gleisi Hoffmann, Renan Calheiros e outros. Assim, fica restabelecida a regra do bom senso que diz “não pode haver dois pesos e duas medidas”.

*Psicóloga

Free WordPress Themes, Free Android Games