Prefeitura planta árvores no Parque Linear

Valter de Paula – Secom/PMU

Depois de iniciar nesta terça-feira (9) mais uma etapa dos trabalhos de revitalização de parques lineares, a Prefeitura de Uberlândia intensifica ainda mais as ações de limpeza,arborização e reflorestamento em diferentes pontos da cidade. Somente no Parque Linear Bons Olhos, cerca de 100 mudas nativas foram plantadas esta semana pelas equipes da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico.

O intuito é que o espaço, situado nas proximidades da rua dos Acantos, no bairro Cidade Jardim, ganhe 500 novas mudas até o fim deste ciclo de trabalhos. O objetivo, segundo o diretor de parques e biodiversidade do Município, Tarcísio de Sousa Medeiros, é contribuir com a recomposição florestal dos parques e áreas que margeiam os córregos.

“Estamos aproveitando o período chuvoso para realizar o plantio em todos os parques. É importante ressaltar também que, assim como no primeiro ciclo, contamos sempre com o apoio da população na manutenção de todas essas áreas. Ações simples nos ajudam a deixar os parques e córregos sempre limpos, longe da sujeira, da poluição e dos prejuízos à natureza”, disse.

Preservação ambiental

A primeira etapa dos trabalhos de revitalização dos parques lineares foi iniciada em maio deste ano, com a realização de diversos tipos de serviços, como retirada de lixo, entulhos e massa verde, além de roçagem, recolhimento de folhas e galhos secos e remoção de bambus e espécies invasoras. No total, foram contemplados oito locais, incluindo os Córregos do Carvão, Liso, Lagoinha, Santa Luzia, Mogi, Bons Olhos e do Óleo, assim como o Parque Linear do Rio Uberabinha. Todos os trabalhos são desenvolvidos mediante o Conselho Municipal de Conservação e Defesa do Meio Ambiente (Codema).

Faxina no PSDB de SP

Paulo Panossian*

Não dá para recriminar a expulsão por infidelidade partidária de 17 membros do PSDB, de São Paulo! Como de um dos fundadores do partido Alberto Goldman, que na maior cara de pau, desprezou o candidato tucano João Dória, para apoiar publicamente o candidato do MDB, ao governo do Estado, o Paulo Skaf. Ora, não restou outra solução para sobrevivência do PSDB, como esta atitude drástica do diretório, com objetivo de tentar reorganizar o partido. Já que, desde o pleito de 2002, para o Planalto, que o PSDB, vem se desintegrando internamente! E o resultado é o fiasco que foi nas urnas o candidato ao Planalto, Alckmin! Que em razão da explicita falta de união do partido, melancolicamente ficou em 4º lugar, com míseros 8% dos votos. E a bancada do PSDB, no Congresso, e também nas Assembleias Legislativas, nos Estados, de tão reduzidas que ficaram, viraram pó…

OTIMISMO NA BOLSA

Horas depois do resultado das urnas, em que o candidato Jair Bolsonaro (PSL-RJ) recebe 46,03% dos votos, ou 16,5% pontos porcentuais acima do segundo colocado Fernando Haddad (PT-SP), nesta segunda-feira com a expressiva alta das ações de 4,57%, a Bolsa registra o maior movimento financeiro de sua história, R$ 28,9 bilhões! O que demonstra uma boa expectativa do mercado por uma possível vitória de Bolsonaro! E de alívio pela não volta do PT ao poder desta República… Porém, como nada é definitivo, esse otimismo pode mudar se o programa de governo de Bolsonaro, até aqui desconhecido, não apresentar alinhamento com as reformas, combate aos gastos improdutivos, regras factíveis para eliminar de vez o déficit fiscal, e melhorar substancialmente o crescimento do PIB, e nível dos investimentos!

DIFERENÇA ABISSAL

Enquanto o candidato líder nas pesquisas Jair Bolsonaro (PSL-RJ) em pleno jornal Nacional, enquadra pelas besteiras que falou seu vice General Mourão, e assumi a postura de quem realmente deseja comandar este País, de forma humilhante, o outro candidato, como do PT, Fernando Haddad, é obrigado ir até a cela em que se encontra o corrupto, e seu tutor Lula, na condição de ser obrigado a seguir suas orientações na campanha eleitoral! Ou seja, um postulante ao Planalto, como o Bolsonaro, enquadra um General, e o Haddad, se submete a ser enquadrado por um formador de quadrilha… É ou não é uma diferença abissal?!…

*Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Ricardo Lula Lewandoviski

Temos que destacar a lealdade infinita de Levandovski com seu amigo fraterno Lula. Faz de tudo por ele e pelo PT, mas não tem dado muita sorte. O FUX ( com duplo sentido ) acabou com a alegria dele. Por mim poderia até falar. Não ia acrescentar nada. Aliás para mim Lula nunca foi nada, além de um grande enganador. Tenho pena de quem acreditou e ainda acredita nele.

Iria de Sá Dodde
Professora

Déjà vu

Rafael Moia Filho*

O resultado mais sublime da
educação é a tolerância (Helen Keller).

O significado da palavra Dèjá vu é quando nós vemos ou sentimos algo pela primeira vez e temos a sensação de já ter visto ou experimentado aquela sensação anteriormente. Diversas teorias errôneas, como intenção, vidas passadas ou visões sobrenaturais, surgiram para explicar o fenômeno.
Pois é exatamente esta sensação que sinto no decorrer desta eleição que será realizada em 2018, e cuja campanha, já começou há tempos nas redes sociais, com agressões, defesa do insustentável, falta de ideias, projetos e muita intolerância em todos os sentidos da palavra.
Já senti essa mesma sensação em relação principalmente aos eleitores do candidato que estava na frente na década de oitenta quando os defensores de Maluf eram inflexíveis e não adiantava dizer que ele estava superfaturando as obras e roubando o dinheiro do cidadão paulista.
Como não havia redes sociais nem internet, bastava entrar num taxi em SP para ouvir o motorista dizer:
_Em quem você vai votar?
Se ouvisse algo diferente de Paulo Maluf, pronto: O sujeito desancava a falar em favor do “Seo Paulo” como eles gostavam de chamá-lo. Eram elogios às suas obras, sua formação, etc.
Em 1989, porém, em âmbito nacional aconteceu à mesma coisa com os defensores da candidatura do então desconhecido Fernando Collor de Melo pelo ainda mais desconhecido partido, o PRN – Partido da Reconstrução Nacional, hoje extinto.
Com ajuda da Rede Globo, que hoje os incautos chamam de comunista, o candidato enganou a todos com seu discurso firme, forte e jovial em defesa do fim das mordomias, da extinção dos marajás do serviço público, da privatização das estatais, etc.
As únicas coisas que fez foi iludir seus eleitores que meses depois desapareceram do mapa. Confiscou o dinheiro de todos, inclusive da poupança e não conseguiu nada com seu falido Plano Collor. Foi defenestrado num processo de Impeachment. Ainda hoje responde por processos de enriquecimento ilícito, e outros artigos do código penal brasileiro e se vale da imunidade de senador da república.
Em 2014, Aécio Neves virou o jovem salvador da pátria, embora com discurso fraco, sem um currículo de gestor público e o ônus de uma gestão fraca a frente do governo de Minas Gerais por oito anos, sem ter construído Hospitais, investido na Educação e deixado o Estado com as piores estradas do sudeste do país, conseguiu com seu discurso enganar seus eleitores e por pouco não vence as eleições marcadas pelo ódio nas redes sociais.
Todos os políticos citados anteriormente estão presos ou respondendo a processos por corrupção, formação de quadrilha, desvio de verbas. Todos enganaram, iludiram e frustraram seus eleitores e defensores ávidos. Hoje em comum existe o fato de que não conseguimos identificar com facilidade um eleitor de Maluf, Collor, ou Aécio Neves nas ruas ou redes sociais.
E o que isso tem a ver com meu Dèjá vu? Basta acompanhar as eleições na Internet, WhattApp, Redes Sociais e perceberá com facilidade que o mesmo modus operandi utilizado no passado recente está sendo empregado para defender o candidato Jair do PSL. Agressões, respostas sem conteúdo lógico, e uma prática comum na época do Macartismo americano na década de ’50, imputar aos que não gostam do seu candidato à pecha de “comunistas”, “esquerdistas”, etc.

*Administrador de Empresas e Jornalista

Estudantes aprendem sobre saneamento em Uberlândia

Secom/PMU

Água é vida! Essa é a mensagem central que os palestrantes do Programa Água Escola Cidadã (Peac) do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Uberlândia (Dmae) levaram aos alunos do 9º ano da Escola Municipal Hilda Leão Carneiro na manhã dessa terça-feira (28), com a palestra “A História de Uberlândia Passa Pelo Saneamento”.
O evento, que faz parte da programação de comemoração ao aniversário de Uberlândia, abordou toda a história do município desde 1888 até os dias de hoje, ao explicar os progressos e tecnologias em saneamento que o Dmae trouxe para a cidade. Durante a palestra, foram abordados assuntos sobre a construção das estações de tratamento de água e esgoto ao longo das décadas e as estruturas que permitem que a água de Uberlândia seja tratada e levada para 100% dos imóveis regulares, além de hábitos de consumo e cuidados com o meio ambiente.

Rodeado de colegas que comentavam a palestra, o aluno Lucas Gabriel, do 9º ano, se mostrou empolgado com aquilo que aprendeu. “Sempre achei o máximo a água sair dos rios e chegar nas nossas casas, mas me perguntava sempre como isso acontecia. Hoje aprendi como o tratamento da água funciona”, respondeu.

Conhecimento

A ação, realizada pelos palestrantes do Peac, é focada na conscientização por meio do conhecimento, visão que Janaína Bento, uma das palestrantes, atribui como uma grande experiência para alunos desta idade. “É enriquecedor, porque os estudantes aprendem como seria se não tivéssemos toda essa estrutura por trás do nosso dia a dia, e com isso aprendem a valorizar e a cuidar melhor do meio ambiente”, diz.

Essa paixão pelo aprendizado é também o que move o professor de matemática da instituição, Matheus Alves Machado, que analisa as palestras como um reforço do currículo tradicional trabalhado durante o ano. “Qualquer informação a mais pode ser um despertar para a consciência dos alunos. Do ponto de vista econômico, é mais barato falar sobre saneamento do que tentar corrigir a falta de água ou doenças a curto, médio ou longo prazo”, comenta o professor.

 

Shows da Virada Cultural trazem os melhores artistas locais

Serifa/Comunicação

A Virada Cultural de Uberlândia está preparando uma grande programação de shows com diversos artistas locais, que tornarão o feriado de 7 de setembro ainda melhor. Quem for ao Teatro Municipal curtirá gratuitamente o som das bandas Trio Sucupira, Black Jack 21 Band, Cachalote Fuzz, Sou Mais Batera e do cantor Arthur Xará, convidando Woody (Mafu) e Tom da Corte. Outras atrações ainda serão confirmadas. “Nossa cidade tem ótimos talentos musicais. Então, buscamos ressaltá-los nesses eventos que valorizam a cultura e a arte em geral. O público pode esperar um evento de qualidade, assim como a apresentação dos nossos artistas”, salienta Antônia Nunes, diretora de eventos da Viva Marketing Eventos e Cultura.
O acervo musical do evento é composto com estilos variados para agradar as diversas tribos da cidade. A banda Trio Sucupira, já conhecida por arrastar diversas pessoas a dançar um bom e tradicional forró, levará aos palcos da Virada Cultural um repertório pé-de-serra, inspirado em grandes artistas como Luiz Gonzaga e Dominguinhos. O show faz parte do projeto “O Canto do Sabiá Itinerante”, com incentivo do Programa Municipal de Incentivo à Cultura – PMIC.
Já para os amantes de um bom Blues, a Black Jack 21 Band promete um show com músicas compostas e tocadas pela banda, em que tem o Blues como maior inspiração. Seu repertório vai do clássico ao moderno, com arranjos originais e releituras, passando por estilos que tem sua raiz no Blues, como Rock e o Soul. A bagagem musical, cultural, ampla e madura dos integrantes é refletida em um som que transmite o verdadeiro espírito do estilo.
Uma das grandes novidades desse ano é a participação do mega encontro de baterias que garante movimentar a Virada Cultural. Cerca de 20 bateristas participarão do movimento “Sou Mais Batera”, para um grande show ao som de diversas baterias, tocadas de forma sincronizada. Para acompanhar, uma banda base é montada, composta por vocalista, baixo e guitarra.
Para quem curte um show mais alternativo, do gênero Indie Psicodélico, a banda Cachalote Fuzz irá apresentar seu trabalho autoral, assim como os trabalhos do primeiro EP e as que fizeram para o novo CD, além de músicas de coletâneas que foram convidados a participar. O gênero índice psicodélico, também conhecido como Neopsicodélica, é um som que traz influência dos anos 70, mas com uma roupagem mais atual, utilizando muitos efeitos eletrônicos. “O show da Cachalote é um passeio na psicodélia brasileira, com pitadas nos anos 70, de noise e de indie. Não temos fixação por ser uma coisa só. Acho que vamos curtir e dançar muito”, destaca Arthur Rodrigues, baterista e vocalista da Virada Cultural
Data: 07 de setembro
Local: Teatro Municipal
Horário: 14h às 23h
Programação: shows, teatro, Viradinha Kids com programação cultural infantil, dança, oficinas de arte, literatura, festival gastronômico, exposições de artes visuais
Entrada Gratuita

Free WordPress Themes, Free Android Games