Zema começa a perceber que rapadura é doce mas não é mole

Ivan Santos

O governador eleito de Minas Gerais, antes da diplomação e da posse no cargo já percebeu que muitas promessas que fez na campanha eleitoral são inviáveis na prática da administração pública. Por exemplo: a limitação do número de Secretarias que hoje são 21 para apenas novo é inviável. Nesta semana, um porta-voz da Equipe de Transição falou em 11 secretarias que poderão ser 12 ou mais. Então, na prática, a teoria é outra. Assim começa a se concretizar a máxima do saudoso Tancredo Neves, segundo a qual, “um político em campanha faz as promessas que o povo quer ouvir e o eleito, na hora das decisões, faz como for possível”. Assim, quando o governador eleito Romeu Zema ouvir a segurança organizada para garantir os movimentos do chefe do Estado Mineiro, perceberá que a mudança da residência dele do Palácio das Mangabeiras para um imóvel particular vai gerar mais despesas do que na atual residência oficial. O discurso do candidato é um e a prática administrativa com racionalidade, outra muito diferente. Nesta semana correram informações em Belo Horizonte, segundo as quais, Romeu Zema pretende reinstalar o gabinete de despachos do governador no Palácio Tiradentes. Quando Pimentel, por questões políticas para criticar e desgastar o ex-governador Aécio Neves e os tucanos decidiu mudar o gabinete de despachos do governador do Palácio Tiradentes para o Palácio da Liberdade no Centro da capital, foi obrigado a mudar também o Gabinete Militar, o Cerimonial, a Assessoria de Imprensa, a Secretaria de Governo e a Casa Civil. Para isto alugou um edifício no centro da cidade e produziu duas despesas: uma para manter o gabinete no Palácio Tiradentes desativado e outra, muito maior, para manter órgão ligados aos despachos do governador perto do Palácio da Liberdade. Foi um ato político que custou e ainda custa muito caro aos mineiros. Quando Pimentel fez a mudança anunciou que faria uma economia de mais de R$5 milhões por ano. Na prática ocorreu exatamente o contrário e as despesas com a manutenção de um palácio desativado e com outro em funcionamento em um prédio histórico foram maiores. Toda mudança gera consequências que precisam ser medidas e calculadas racionalmente antes da mudança.

*Jornalista

Prefeitura constrói a UBS do Bairro Novo Umuarama

Araípedes Luz – Secom / PMU

Em breve, os moradores do bairro Minas Gerais contarão com um posto de atendimento. Paralisadas desde 2015, as obras da Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Novo Umuarama foram retomadas pelo prefeito Odelmo Leão há dois meses e já apresentam avanços notórios.

Durante esta semana, uma das frentes de trabalho esteve dedicada a realizar a concretagem do piso da área externa e a colocação do piso intertravado no local onde será o estacionamento. Ao todo, mais de 15 funcionários da empresa vencedora da licitação, Enprol Engenharia e Projeto, entre engenheiros, pedreiros, encarregados e eletricistas, trabalham diariamente na obras.

Desde setembro, os operários finalizaram a colocação do piso porcelanato, concluíram a colocação dos vidros, do plaqueamento das paredes internas e a instalação das bancadas em granito. O revestimento dos banheiros, a estrutura elétrica e o gradil da mureta externa também foram iniciados.

A UBSF Novo Umuarama possui 560 m² de construção e foram necessários mais de 1,6 mil m² de placas de gesso e 700m² de piso porcelanato. No local, haverá mais de 20 salas de atendimento à comunidade com serviços de triagem, coleta, curativos e consultas.

Foco na comunidade

Construída no cruzamento das ruas da Fatura e Galiano Torrano, as obras da unidade começaram em 2014 e foram paralisadas com 50% de execução no ano seguinte. A construção foi retomada graças aos esforços da atual gestão para recuperar e garantir os serviços de qualidade para a população, sobretudo nas áreas prioritárias como a Saúde. Quase R$ 940 mil, oriundos do orçamento da Secretaria Municipal de Saúde e do Fundo Municipal de Saúde, serão investidos pela administração para que o equipamento seja finalizado.

A medida foi necessária uma vez que os recursos estaduais previstos em convênio assinado pelo Governo de Minas para permitir a construção da unidade não foram repassados. Dos mais de R$ 1,3 milhão que a gestão estadual deveria ter repassado em 2015 ao Município, somente pouco mais de R $600 mil foi recebido, mesmo o Município já tendo investido outros R$ 200 mil como contrapartida.

Uma raposa política mineira

Ivan Santos*

O folclore político mineiro é dos mais ricos do Brasil e o lendário deputado José Maria Alckmin, amigo de infância de Juscelino Kubitschek, foi um dos personagens dos mais famosos. Como Juscelino, Zé Alckmin, aos 20 anos de idade foi telegrafista, profissão que exerceu para manter-se enquanto estudava Direito em Belo Horizonte. Mesmo com rara inteligência, tinha pouco brilho social. Era franzino, com 1m 59 de altura, mas estudante brilhante e aplicado. Lia todas as publicações que encontrava à frente – dos ensaios de Erasmo, às bulas de remédio. Era um gajo extrovertido e espirituoso. Certo dia, Juscelino o apresentou a uma garota linda, alta (mais de 1m75), simpática, de forma corporal perfeita. Alckmin, prontamente apaixonou-se por ela. Elogiou-a e, durante uma semana deu-lhe presentes com a intenção de conquista-la. A moça fechou a guarda, esquivou-se, manobrou como pode até que um dia, sem saída diante do cerco armado por Cupido perdeu a paciência e despejou: “Vê se te enxerga Zé Maria! Cresça e apareça!”. Então, de repente, o enigmático mineirinho, sem perder tempo, de repente falou firme: “Crescer eu não garanto, não; só garanto outras coisas”. A moça entendeu e ficou vermelha, perdeu o fôlego e retirou-se; nunca mais se aproximou do mineirinho namorador, audacioso, espirituoso e enigmático. As histórias desse personagem da política das Minas enriqueceram o famoso folclore político dos enigmáticos viventes das Minas Gerais. Em Minas e na corte (Rio de Janeiro) José Maria Alckmin (1901-74) foi reconhecido por gregos e troianos como um interessante e original articulador políticos. Foi uma das raposas ágeis e manhosas do pragmático PSD mineiro e destacou-se na política como deputado estadual, federal, ministro da Fazenda de JK, vice-presidente da República de Castello Branco e ator dissimulador. No tempo em que os políticos cuidavam especialmente de política, José Maria Alckmin esforçava-se para permanecer anônimo. Raramente concedida entrevistas. Dizia sempre que de nada sabia, que precisava de autorização superior para falar. Era a representação da “matreirice”. Quando apertado dizia: “Eu não sou contra nem a favor; sou antes pelo contrário”. Quando adulto, formado, militante no velho PSD, o astuto Doutor Zé Maria recebeu a vista do filho de um velho amigo dele. Ao se despedir falou: “Lembranças pro seu pai!”. “Meu pai já morreu, doutor Alckmin”, respondeu o rapaz. Então Alckmin, prontamente, saiu com esta, sem titubear: “Morreu pra você, filho ingrato! Ele sempre continuará vivo no meu coração”!

*Jornalista

Este caos tem responsáveis

Percival Puggina

Insegurança generalizada, permanentes riscos de lesão física e patrimonial, indisciplina nos colégios, baixíssimo rendimento escolar, desrespeito a pais e professores, promiscuidade, gravidez na adolescência, drogas, falta de referências morais e perda da noção de limites, corrupção em variados níveis e modos… Como tudo isso pode acontecer em tão curto espaço de tempo, no espaço de tempo de uma geração, da minha geração? Quando nasci o Brasil não era assim e pude observar a degradação da sociedade brasileira, saindo praticamente do ponto zero, chegar ao quadro atual. Cavalheiros e damas dos anos 30, 40, 50! Nós vimos o Brasil ir assumindo essa face sinistra.
Não se diga que é tudo fruto do acaso. De fatalidades e coincidências. O caos tem responsáveis. Exatamente porque a tudo assisti, sei como tudo começou, mediante a propagação de ideias erradas, perversas, desorientadoras! São as mesmas que hoje batem cabeça revoltadas contra a vitória de Jair Bolsonaro, consagrado nas urnas por afirmar enunciados conservadores.
Terrível audácia, a desse sujeito que ousa mencionar Deus mais de uma vez no mesmo discurso! Tipo repulsivo esse que fala em autoridade, em respeito aos mais velhos, em responsabilidade, em combater a impunidade e prender bandidos. Em proteger a inocência infantil e a instituição familiar. Sujeito impertinente esse que quer estudante estudando e professor ensinando, que não vai legalizar drogas e não confunde liberdade com libertinagem.
É tudo relação de causa e efeito! O caos que se instalou na sociedade brasileira resulta de uma série de estratégias políticas revolucionárias que precisam desse caos para prosperar. São estratégias viabilizadas por professores que, enquanto nada ensinam, cultivam a rebeldia adolescente ao ponto de ruptura com as referências familiares e, de lambuja, promovem a imagem “missionária” de Che Guevara. São estratégias que, quanto mais criticas faziam à TV Globo, mais se valiam dos desarranjos morais promovidos em suas novelas para produzir uma geração de pais irresponsáveis, moderninhos, “progressistas”. São estratégias que precisam da CNBB, dos padres militantes, da teologia da libertação e de suas más parcerias para a incrível esterilização voluntária da missão evangelizadora da Igreja e de tantos educandários católicos. Tudo isso é o avesso do que a sociedade precisa para seu desenvolvimento econômico, para a efetiva harmonia social, para o efetivo pluralismo e para a efetiva superação de preconceitos.
Sem dúvida, o melhor sinal no horizonte deste ano que já vai terminando foi o renascimento de um conservadorismo ainda embrionário, buscando modo, voz e expressão. Parcela significativa da sociedade percebeu, finalmente, as relações de causa e efeito entre ideias e estilos de vida propagados entre nós e o estrago que acabaram produzindo. A permissividade geral nos trouxe a este ponto. Os que criaram o caos social constrangendo toda divergência, agora se agitam para defendê-lo nos jornais, microfones e telinhas de sempre.

* Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

Prefeitura de Araguari melhora estradas

Ascom/PMA

A Prefeitura de Araguari, através da Secretaria de Obras fez nesta semana, intervenções importantes em vários pontos da zona rural do município. Várias estradas rurais apresentaram danos consideráveis com as chuvas que caíram no início do mês, o que necessitou de reparos para restabelecimento do trânsito novamente.

Foram vários pedidos direcionados a Secretária de Obras, que esperou pela oportunidade de tempo seco e mais firme para iniciar os trabalhos, já que com a presença de chuva não há como fazer os serviços. Em alguns locais, crateras enormes se formaram dividindo estradas e complicando várias comunidades.

O Secretário de Obras Expedito Castro Alves Júnior citou que o atendimento a algumas regiões precisou ser de forma imediata. “Precisávamos dar a resposta de forma mais rápida e imediata, mas, as chuvas duraram dias, o que impediu nosso trabalho. Mas, assim que o tempo firmou determinamos para que as máquinas fossem para os locais afetados e providenciasse os reparos o mais rápido possível. Estamos atentos a qualquer problema e sempre buscando soluções para não deixar que o cidadão fique com pontos de estradas intrafegáveis”, explicou o Secretário.

O Prefeito Marcos Coelho de Carvalho citou que os serviços são importantes para zona rural. “A chegada das chuvas sempre trazem alguns problemas em termos de estradas rurais. Determinamos a pasta de Obras para que esteja atenta a esses problemas e que possa dar o retorno o mais rápido possível para as comunidades da zona rural. Sabemos da importância das estradas rurais para o escoamento da produção agrícola e para a comunidade rural. Estamos trabalhando para oferecer aos usuários, estradas para o transporte de qualquer natureza e mesmo para as pessoas que trafegam em passeio pelas estradas rurais”, disse o Prefeito.

Free WordPress Themes, Free Android Games