Pesquisadoras da UFU investigam como diminuir danos de radioterapia

Ascom/UFU

No decorrer deste ano, 59.700 mulheres devem ser diagnosticadas com novos casos de câncer de mama no Brasil, segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Dessas, em torno de 60% serão encaminhadas para radioterapia em alguma fase do tratamento e poderão desenvolver, entre outras reações adversas, um tipo de lesão na pele chamada radiodermatite. Mas estudos desenvolvidos na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) indicam formas de diminuir esse problema. Até o horário em que as sessões de radioterapia são feitas pode fazer diferença.

Pesquisas sobre câncer de mama são desenvolvidas no Laboratório de Nanobiotecnologia da UFU. Na imagem, a biomédica Letícia Lopes Dantas, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Genética e Bioquímica, demonstra como é feita a extração do RNA do sangue. (Foto: Milton Santos)

O estudo

A pesquisa foi desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina (Famed/UFU) pela enfermeira e então doutoranda Marceila de Andrade Fuzissaki, orientada pela professora Yara Cristina de Paiva Maia e coorientada pela oncologista Paula Philbert Lajolo Canto.
Entre 2016 e 2017, foram monitoradas, semanalmente, 100 mulheres com câncer de mama em tratamento no Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU/UFU) por radioterapia, ou seja, elas recebiam radiação ionizante para combater as células cancerígenas.
As sessões de radioterapia são feitas diariamente, durante cerca de 50 dias. A radiação é cumulativa e pode provocar na pele efeitos agudos – eritemas, descamação seca, descamação úmida e ulceração – e efeitos tardios – ulceração tardia, necrose, fibrose e telangiectasia (pequenos vasos sanguíneos na pele).
Fuzissaki observou as 100 pacientes antes, durante e depois do tratamento. A conclusão foi de que a pele escura, o tamanho maior da mama e a realização de sessões de radioterapia no período da tarde são fatores de risco para a ocorrência de radiodermatite mais severas nas mulheres avaliadas.
“A radiodermatite é uma lesão causada pela radiação. Para atingir o tumor, a radiação necessariamente passa pela pele. Aquele local onde vai ser irradiado, que se chama de campo, pode desenvolver essa lesão”, explica Fuzissaki. Segundo a enfermeira, há casos em que as radiodermatites ficam tão severas que é preciso interromper o tratamento.
A enfermeira Marceila de Andrade Fuzissaki (esquerda) foi orientada no doutorado pela professora Yara Cristina de Paiva Maia (direita). (Foto: Milton Santos)

Fatores de risco

De acordo com a tese de Fuzissaki, a maior incidência de radiodermatites severas em mulheres negras e pardas pode estar relacionada às alterações genéticas e moleculares que ocorrem em resposta à radiação no melanócito, que está relacionado à produção de melanina, responsável pela cor escura da pele.
As pesquisadoras também observaram que mulheres com mama grande apresentaram um maior risco de desenvolver radiodermatites, o que pode ser justificado pela maior quantidade de tecido adiposo que, quando irradiado, secreta substâncias que produzem uma resposta inflamatória acentuada. Além disso, a mama grande recebe doses maiores de radiação para que o local do tumor seja efetivamente tratado.
“Em relação à cronoterapia, estudos indicam que a ação do tratamento pode variar de acordo com o período do dia em que as pacientes são tratadas”, explica Fuzissaki. A cronoterapia considera a influência do ritmo circadiano – o relógio biológico que regula o metabolismo das nossas células ao longo do dia e pode explicar o fato de mulheres submetidas à radioterapia no período da tarde ter apresentado maior risco de radiodermatites
A enfermeira, que defendeu sua tese de doutorado em junho deste ano, também avaliou a qualidade de vida das pacientes por meio de questionário dermatológico específico aplicado em oito momentos diferentes – antes, durante e depois do tratamento. As pacientes que apresentaram radiodermatite severa tiveram uma pior qualidade de vida, por conta da dor, queimação e desconforto no local.
As pesquisadoras já tinham levantado essa hipótese, mas faltavam estudos que a comprovassem. A partir dos resultados da tese, é possível a adoção de ações que tornem o momento da radioterapia menos traumático para as pacientes.

Exposição reúne 150 peças de artesanato no Mercado Municipal

Foto: Cleiton Borges – Secom PMU

A Prefeitura de Uberlândia finaliza, nesta terça-feira (17), os preparativos para inaugurar uma das exposições mais singelas já montadas nos espaços do município. Toda beleza do artesanato será celebrada com a mostra Santo de Casa Faz Milagre. Ao todo, 18 artesãos apresentarão mais de 150 objetos noEspaço Cultural do Mercado Municipal. A montagem é fruto de uma pesquisa de mais de dois meses conduzida pela Secretaria Municipal de Cultura.

Toda a comunidade pode participar da abertura oficial da exposição, que acontece às 19h desta quarta-feira (18). Durante o evento, haverá uma apresentação de viola caipira com o professor Robson Carvalho.

Do barro à arte

Artesanato pode ser definido como a arte de utilizar as próprias mãos para transformar materiais brutos em objetos de diferentes cores, formas e funções. O objetivo da exposição é justamente mostrar que essa manifestação segue viva na cidade, com representantes dos mais diversos segmentos.

Serão apresentados objetos resultantes de técnicas como cestaria e ourivessaria (fabricação de ornamentos a partir de metais preciosos). Terão ainda peças em madeira e cerâmica, além do trabalho de tecedeiras, bordadeiras e luthier (quem fabrica instrumentos musicais).

Reunião de talentos

Há cerca de dois meses, a Secretaria Municipal de Cultura começou a catalogar os artesãos. Os servidores visitaram os artistas no intuito de selecionar obras com mais valor artístico e cultural. “Queríamos abordar o artesanato por meio de uma exposição. O principal critério adotado estabeleceu que todas as peças fossem feitas a mão pela própria pessoa, com apuro técnico e uso mínimo de ferramentas”, ressaltou a coordenadora do Espaço Cultural do Mercado, Yone Correa.

Ainda conforme a coordenadora, a mostra tem um viés de preservação da cultura raiz do município. “Queremos mostrar o valor desse trabalho na cidade. Selecionamos pessoas que vivem e fomentam sua arte em Uberlândia. São materiais que permeiam eixos temáticos da nossa terra, como religiosidade, traços e costumes”, explicou.

Ineditismo em cada peça

Uma dos 18 selecionados, a ceramista Claudete Baccaro apresentará artefatos como santos, utilitários e refratários. Para ela, a iniciativa é boa para tornar mais conhecida os princípios por detrás da produção manual. “Na cerâmica, por exemplo, nós trabalhamos com formas, modelagens e cores, em uma grande alquimia. Cada peça é única e retrata momentos do artesão e do período que é feita. Colocamos nossa alma ali”, ressaltou.

Prefeitura reforma escolas municipais

Araípedes Luz – Secom/PMU

O recesso escolar teve início nesta semana e, neste período, a Prefeitura Municipal de Uberlândia reforçará os reparos e manutenções nas escolas da rede. Até o dia 27 deste mês, diversas unidades receberão serviços de pintura, limpeza da caixa d’água e reparos nas redes hidráulica e elétrica, entre outros trabalhos que integram o programa Escola Bem Arrumada. “o Município cuida desses espaços durante todo o ano, mas aproveitamos recessos e férias para fazer os reparos maiores, que demandam mais tempo e cuidados especiais”, disse a secretária de Educação, Célia Tavares.

Nesta semana, na Escola Mário Alves Araújo Silva estão sendo trocadas oito lousas verdes por brancas, que utilizam marcadores ao invés de giz. A unidade também recebeu limpeza da caixa d’água e reparos nas redes elétrica e hidráulica. Em outra unidade, a Orlandi Violatti, as salas de aula estão recebendo os últimos retoques na pintura.

Cuidados permanentes

Os serviços de reparos e manutenções fazem parte do Escola Bem Arrumada que realiza melhorias nas unidades durante todo o ano. O objetivo do programa é manter os prédios escolares em total condição de funcionamento e as ações ocorrem graças a uma parceria entre a SME e a Empresa Municipal de Apoio e Manutenção (Emam), que conta com cerca de 30 servidores divididos entre equipes da área de serralheria, hidráulica, elétrica e de construção civil (pedreiros).

Também colaboram com o Escola Bem Arrumada a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico, nos serviços de capina e roçagem, e de Saúde, na eliminação dos possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre amarela, zika e chikungunya.

Futel instala aquecedores no Parque Aquático

Araipedez Luz – Secom/PMU

Retomadas em janeiro deste ano pelo prefeito Odelmo Leão, as obras do Parque Aquático Municipal já contabilizam avanços importantes. Nesta semana, os 20 aquecedores da piscina olímpica começaram a ser instalados. Os equipamentos têm, em conjunto, capacidade para esquentar mais de três milhões de litros de água.

Simultaneamente, os mais de 20 operários montam ainda a laje da galeria técnica, limpam o fundo da piscina e fazem tratamento das arquibancadas para garantir a impermeabilidade da estrutura de alvenaria. Nos próximos dias, acontece a concretagem da galeria e o início do processo de impermeabilização da piscina, bem como a montagem das partes hidráulicas e elétricas dos aquecedores.

“São inúmerosos benefícios que o Parque Aquático vai trazer para a população de Uberlândia. Nós teremos estrutura adequada para incentivar a prática de esportes na água, formar atletas e receber competições de alto rendimento. A conclusão das obras é uma das prioridades da gestão e foi determinada pelo prefeito Odelmo Leão”, explicou o secretário de Obras, Norberto Nunes

O Parque

Construído ao lado da Arena Multiuso Presidente Tancredo Neves (Sabiazinho), complexo tem área total superior a 6 mil m² e contará com arquibancadas para aproximadamente 1,3 mil pessoas, uma piscina olímpica semi-aquecida (25x50m e 3m de altura), que segue todas as exigências da Federação Internacional de Natação (Fina), além de área de alimentação, sanitários e galeria técnica de 1.200 m².

As obras contam com recursos na ordem de R$ 5,9 milhões, por meio do convênio firmado entre a Prefeitura de Uberlândia, Governo de Minas e Governo Federal. A Administração Municipal, que é a gestora executiva do projeto, fez a doação do terreno e efetuou as obras de terraplanagem. A partir de agora, para dar continuidade e finalizar o projeto, entrou também com aporte de mais de R$ 850 mil para pagar ajustes do contrato (correções e atualizações do custo da obra).

Histórico

De autoria do prefeito Odelmo Leão, o projeto teve início em 2008 graças a uma emenda parlamentar do ex-deputado federal João Bittar. A emenda resultou posteriormente em um convênio firmado entre a Prefeitura de Uberlândia, o Governo de Minas e o Governo Federal.

Prefeitura de Araguari amplia manutenção de estradas

Ascom/PMA

A Prefeitura de Araguari, por meio da Secretaria de Obras continua com as obras de manutenção das estradas rurais do Município. As obras começaram na região da Ponte Preta e estão avançando por várias regiões. A previsão é que todas as estradas recebam manutenção de acordo com a necessidade e o cronograma de obras.

Araguari tem hoje uma extensão de mais de 7000 quilômetros de estradas rurais.
O que prolonga o trabalho e o atendimento de todas as solicitações. As máquinas estão trabalhando em vários locais, e o cronograma é atender o mais rápido possível toda a zona rural do município.

O Secretário de Obras, Expedito Castro, falou da importância da preservação das estradas e do cumprimento do cronograma. “As estradas rurais necessitam de cuidado e manutenção. Essas vias têm trânsito intenso e com veículos pesados. As patrolas estão trabalhando de acordo com cronograma, mas todas as regiões são de suma importância para o desenvolvimento do município. Pedimos um pouco de paciência para conseguirmos atender toda a região rural de Araguari”, explicou o Secretário.

O Prefeito Marcos Coelho (MDB) destacou que é necessário cumprir o cronograma e atender a população da zona rural. “Precisamos manter as vias rurais em boas condições de trafego, por isso é importante cumprir o cronograma e realizar a manutenção de todas as estradas do município. Por se tratar de uma grande área sabemos que o processo é extenso, mas solicitei a Secretaria de Obras que realize os trabalhos necessários em toda rural, a fim de atender toda a população, enfatizou o Prefeito.

Free WordPress Themes, Free Android Games