Ivan Santos*

Finalmente, começou a ser definida em Brasília a Nova e a Velha política. Para quem ainda não sabe, Velha Política é aquela do passado, hoje representada pela maioria dos deputados que atuam na Câmara Federal a maioria dos Senadores que representam os Estados na Câmara Alta do Parlamento. A Nova Política é a que é hoje representada pelo presidente Jair Messias Bolsonaro, eleito pela maioria dos eleitores brasileiros, os filhos do presidente e o ideólogo da direita política, astrólogo Olavo de Carvalho que, dos Estados Unidos, orienta os operadores da Nova Política pelo Twitter.
Os representantes da Velha Política ainda não perceberam que um presidente da República moderno não cuida mais de articulações para contar com maioria no Congresso. Hoje o presidente manifesta a vontade dele pelo Twitter e obtém autorização direta do povo para governar, pelas redes sociais, principalmente o Instagram. Quem não se modernizar vai acabar falando sozinho no Planalto Central e nas Planícies. A articulação política agora é digital.
Os representantes da Velha Política querem mudar a reforma administrativa decretada pela Nova Política e querem recriar uma velharia como o Ministério do Trabalho. Isto seria um atraso impressionante. Outro atraso será tentar criar experientes da Velha Política que o atual presidente, representante das inovações, quer fechar definitivamente.
Quem acompanha ações da Velha Política já percebeu que os restos fósseis da política nacional preparam na Câmara um “Pacote de Maldades” para descaracterizar A Reforma Administrativa feita pelo atual presidente por Medida Provisória e recriar velhas sinecuras com a intenção oculta de recriar maracutaias. Essa turma ainda não percebeu que na Nova Política quem manda é o povo e não os políticos. Todo poder hoje emana do povo e se manifesta nas redes sociais através do Presidente da República. O tempo mudou. Quem não mudar será sepultado vivo no Cerradão.

*Jornalista

Free WordPress Themes, Free Android Games