Paulo Panossian*

Mais um triste episódio de violência urbana que choca o País. Desta vez dois ex-alunos da escola Estadual Raul Brasil, da cidade de Suzano- SP- mataram duas funcionárias e cinco estudantes, e feriram outros nove alunos. Antes deste ataque covarde, esses assassinos, para roubar um carro que foi utilizado no crime, mataram também um funcionário de uma locadora de veículos.  Chocado, indignado, sim! Surpreso não! Já que infelizmente vivemos num País, em que, não é prioridade investimentos em segurança pública nem do governo federal, e menos ainda na maioria dos estaduais, mesmo amargando o pior índice de criminalidade do mundo! Ou seja, mais de 60 mil assassinatos por ano!  E, que, com os graves problemas sociais que temos, e estimulados pela impunidade, milhares de jovens, há tempos, preferem abandonar a escola, e entrar na universidade do crime. A consequência, infelizmente, é tragédia em cima de tragédia! E o povo, literalmente refém desta bandidagem.  Porém, pouco ou nada adianta esta declaração oportunista do senador Major Olímpio (PSL-SP) de que, se os professores estivessem armados talvez esta tragédia de Suzano, não teria ocorrido! Ora, é uma sugestão simplista, e fora de curva! Já que, o caminho, é melhorar o nível de qualidade da escola publica, com um currículo escolar que motive o aluno a não abandonar os estudos! E o Congresso, se digne a criar leis, em que, um criminoso seja julgado rápido, e cumpra sua pena integralmente! Incluindo a redução da maioridade penal.  Caso contrario, a violência não será reduzida! E como ocorreu em 2011, em Realengo, no Rio, em Goiânia, em 2017, e agora na cidade de Suzano, o que se espera é que as nossas autoridades reajam para evitar outras tragédias…

AGRICULTURA QUE NOS ORGULHA

Em 1975, a produção de grãos no Brasil, era de 40,6 milhões de toneladas por ano. Já em 2017, saltou competentemente para 237,8 milhões de toneladas. Ou seja, em pouco mais de 40 anos a produção cresceu seis vezes, ou alcançou uma produtividade média maior neste período de 3,8% ao ano.  A renda dos produtores cresceu também com a diversificação dos produtos de itens de maior valor agregado, como de carnes, frutas e do setor sucroalcooleiro e grãos.  A produção de carne bovina passou de 1,8 milhão, para 7,7 milhões de toneladas. A de carne suína de 500 mil para 3,8 milhões de toneladas. E de frango de 373 mil para 13,6 milhões de toneladas. Tudo em função da  melhor preparação da mão-de-obra,  de modernos equipamentos, e avanços de plantio promovidos neste período pelos competentes técnicos da Embrapa. E esta evolução agropecuária no País, teve um preço! Já que, de 1985 a 2017, a agricultura dispensou 8,4 milhões de pessoas, originado pelo aumento expressivo da produtividade.  Porém, esse avanço há anos na alta da produtividade é que tem permitido  a alta mais moderada dos preços, e uma mesa mais farta para família brasileira.  E se em 2018, as exportações brasileiras acumularam um total de US$ 239,523 bilhões, e um superávit na balança comercial de US$ 58,3 bilhões, somente o setor agropecuário exportou pouco mais de 40% deste total, ou US$ 96,01 bilhões, e apresentou um superávit de US$ 81,66 bilhões.  Esta é a agricultura que nos orgulha!

EDUCAÇÃO E ECONOMIA

Se o presidente Jair Bolsonaro, tem o mérito de ter formado uma ótima equipe econômica, ruim para o País, o deserto da falta de competência, por sua única culpa, que se instalou no ministério da Educação!   Que começa pelo ministro indicado, Ricardo Veléz Rodrigues, que não disse até agora a que veio!  E ainda conta com a péssima influência neste ministério, de um guru da família Bolsonaro, o belicoso Olavo de Carvalho, que é capaz de infernizar a pasta lá dos EUA, onde mora!  O Brasil tem pressa!  E a boa qualidade de educação formal para os nossos filhos, é vital para alavancar a economia. Ou melhor, tão importante quanto.   A nossa produtividade é baixa! O Brasil no ranking entre 70 países ocupa a posição 59ª no Programa de Avaliação de Alunos (Pisa) da OCDE.  E temos ainda, infelizmente, 11,5 milhões de analfabetos.  A Coréia do Sul, que tinha um PIB per capita bem menor que do nosso País, na década de 70 do século passado, fez uma revolução na área de educação, e passados quase cinco décadas, como em 2017, alcançou um PIB per capita de US$ 29.742,84. E o Brasil, medíocres US$ 9.821,41, porque melancolicamente abandonamos a área de educação. Ora, esse ministério hoje, está nas páginas da nossa imprensa porque ninguém se entende por lá. A briga por cargos, tal do toma lá da cá, é explicita, e o presidente agora vai colocar a bancada dos evangélicos para ver se Deus, ajuda…  Não é hora de brincar com os filhos estudantes desta Pátria…

Bolsonaro refém de Carvalho

É difícil entender como que o nosso presidente Jair Bolsonaro, e seus filhos se vergam idolatrando como guru, o filósofo Olavo de Carvalho. Que mesmo morando nos EUA, inferniza e apequena o Planalto.  Este Carvalho, que se expressa rasteiramente pelo twitter, como fez agora, ofendendo com palavras impróprias o ministro de Educação, Ricardo Velez Rodrigues, é o mesmo que indicou nomes chaves, como o inepto ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo. E também, como diz, vários de seus alunos, no ministério da Educação. Porém, pelo estrago que fizeram, graças à pressão do grupo militar do governo, esses indicados de Carvalho, finalmente foram demitidos…

*Jornalista – paulopanossian@hotmail.com

Free WordPress Themes, Free Android Games