Ivan Santos*

O empresário do setor financeiro, João Amoedo, foi fundador e presidente do Partido Novo pelo qual é candidato a presidente da República. Foi vice-presidente e membro do Conselho de Administração do Unibanco que se associou ao Itaú para formar o Itaú-Unibanco. Integrou o Conselho de Administração do Itaú-BBA até 2015. É um político liberal. Como candidato Amoedo promete reduzir o papel do Estado, a carga tributária, privatizar empresas estatais e dar mais espaço para o setor privado investir para crescer nas atividades econômicas nacionais. O programa de Amoedo não dá preferência à valorização do salário mínimo, mas uma justa remuneração aos trabalhadores pela qualificação e pela maior produtividade. Na política fiscal a proposta do candidato destaca como prioridade manter o teto de gastos e aprofundar medidas de redução de despesas; simplificar o sistema tributário, aumentar um pouco a tributação sobre renda e taxas menores sobre consumo e investimentos produtivos. É intenção de Amoedo substituir o ICMS por um IVA (Imposto sobre Valor Adicionado) e promete acabar com os benefícios fiscais para o setor privado. O candidato do Partido Novo é contra taxar grandes fortunas porque, no entender dele, ao fazer isso o governo transfere dinheiro da iniciativa privada (que poderia investir em novos negócios para gerar mais renda e empregos) para a área pública que tem se mostrado muito ineficiente na gestão de recursos. Segundo Amoedo, num eventual governo dele a primeira estatal a ser privatizada seria a Eletrobrás; também seriam privatizadas a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e os Correios. Privatizar para aumentar a concorrência e beneficiar a população. O candidato do Partido Novo também defende o fim do monopólio da Petrobrás, mas admite um controle no preço do combustível. Segundo ele, os reajustes poderão ser mensais ou quinzenais para facilitar o planejamento de quem trabalha na ponta da operação. A privatização da Petrobrás poderá seguir o modelo da Telebrás com a divisão das atividades. Amoedo, se for eleito, pretende adotar a proposta do presidente Michel Temer para unificar os regimes da Previdência Privada e pública e assim aumentar a idade mínima para aposentadoria. A proposta indica desvincular o reajuste da aposentadoria do salário mínimo e destacar o tempo mínimo de contribuição. Também cobrará contribuição para a área rural e taxará aposentado do setor público em 14%. Na segurança Amoedo defende o fim do Estatuto do Desarmamento para que as pessoas tenham liberdade para portar armas, especialmente nas áreas rurais. Na saúde o candidato Amoedo pretende lançar um modelo de vales para o cidadão trocar por serviços em qualquer hospital ou serviço médico. Amanhã divulgaremos um resumo do programa da candidata Marina Silva, do partido Rede.

*Jornalista

Free WordPress Themes, Free Android Games