Secom/PMU

Como pensar o município sob a ótica do ecossistema da inovação? De que forma a construção de uma cidade inteligente e humana pode favorecer a relação com exterior? Questões que mobilizaram diversos especialistas para um evento nesta quinta-feira (15), em Marília (SP). Em destaque, o projeto de internacionalização de Uberlândia, apresentado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo (Sedeit).

O evento foi uma realização da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em parceria com a Prefeitura de Marília e o Fórum Nacional dos Secretários e Gestores Municipais de Relações Internacionais (Fonari). O intuito foi debater a possibilidade de atuação das cidades junto à diplomacia global, além de reunir experiências dos municípios brasileiros para a consolidação de uma visão internacional e cooperativa da administração pública.

Internacionalização de territórios

Uma das principais participações foi a do secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Dilson Dalpiaz, que representou a Prefeitura de Uberlândia e destacou a oportunidade. “Precisamos difundir melhores práticas de internacionalização entre os municípios, com objetivo de fazer um desenvolvimento territorial e mostrar as possibilidades de acessar recursos de fundos internacionais, como do Banco Mundial, por exemplo. Outro atributo é ligado aos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis) preconizados pela ONU (Organização das Nações Unidas). São 17 objetivos e que estão sendo trabalhados pela Prefeitura de Uberlândia conforme orientação do prefeito Odelmo Leão”, afirmou.

Entre os objetivos citados por Dilson, destacam-se a água potável e saneamento; trabalho digno e crescimento econômico; produção e consumo sustentáveis; energias renováveis e acessíveis; indústria, inovação e infraestrutura. Além de titular da Sedeit, Dilson também ocupa a vice-presidência da Fonari na região sudeste. Segundo ele, a cidade tem colhido os resultados de seu potencial no cenário internacional.

“Uberlândia demonstra a capacidade de buscar a internacionalização como forma de gerar negócios para o município, com investimentos e recursos internacionais de desenvolvimento sustentável. Uma das ações que trouxe mais impacto positivo no evento foi o nosso protocolo de cooperação assinado junto ao Reino Unido e a Irlanda. É algo que é inédito entre uma prefeitura e um país e, como estamos em um ambiente de universidades e prefeituras, certamente saímos na frente nesse aspecto”, completou.

O mundo passa por aqui

Com a mensagem “Uberlândia: o mundo passa por aqui”, o programa de internacionalização do município amplia ainda mais o conhecimento sobre a cidade, incluindo boas práticas de relação com o exterior, cooperação internacional, atualização do plano de trabalho e criação de um ambiente favorável as indústrias e empresas, com inovação e desenvolvimento sustentável.

Autonomia na execução das relações internacionais

Com o tema “Autonomia de entes federados na formulação e execução das relações internacionais”, a conferência reuniu diversos especialistas, entre gestores municipais, empresários, professores, vereadores, estudantes e outros interessados no assunto. Marcelo Fernandes, professor de Relações Internacionais da Unesp/Marília, Jefferson Dias e Procurador da República do Ministério Público Federal completam a lista de participantes. Além de Uberlândia, os projetos de internacionalização das cidades de Osasco (SP) e São José dos Pinhais (PR) também foram apresentados.

Free WordPress Themes, Free Android Games