Ivan Santos*

A pesquisa Datafolha sobre intenções de votos para presidente da República divulgada domingo passado deixou muita gente perplexa. Ficou evidente uma preocupante realidade: quem tem competência administrativa e política para enfrentar dificuldades maiúsculas e negociar com um Congresso fisiológico, não tem votos para se eleger; quem tem um perfil demagogo e postura irresponsável nesta fase pré-eleitoral e promete “salvar a pátria com distribuição de ilusões” tem a preferência de parcelas expressivas do eleitorado. A pesquisa mostra que a maioria dos eleitores raciocina emocionalmente com o fígado e não com o cérebro. Para embaralhar mais o jogo politico na fase pré-eleitoral o PT insiste em defender a candidatura de Lula da Silva que cumpre uma pena de 12 anos e um mês num presídio do Paraná. Da insistência do PT destacam-se dois cenários: no primeiro o Partido Vermelho indica que só tem um nome para candidato à presidência: Lula da Silva. No segundo cenário aparece um desafio à Justiça que, num processo democrático com ampla defesa condenou o líder petista na primeira e na segunda instância depois de ampla defesa para o acusado. A reação emocional e ilógica de muitos atores do PT em defesa do líder condenado por prática de malfeitos é irracional. Quem se eleger presidente da República em outubro precisa ter preparo e apoio político para negociar com um Congresso irresponsável como o atual. Na edição de hoje o jornal “O Estado de São Paulo” publicou na primeira página que o atual Congresso está preparado para aprovar bondades, benesses e incentivos ficais que poderão representar um rombo no Tesouro Público da ordem de R$ 667 bilhões. A maioria dos congressistas, neste momento, só pensa em encantar eleitores para continuar a reinar no Palácio Legislativo por mais quatro anos. E o Brasil? E o povo do Brasil? Que se lixem vestidos de verde-amarelo.

*Jornalista

Free WordPress Themes, Free Android Games