Secom/PMU

Para facilitar o acesso da comunidade aos testes e orientações sobre as infecções sexualmente transmissíveis, o Ambulatório IST/Aids estendeu o horário de atendimento na quinta-feira (12) e triplicou a quantidade de exames realizados (em comparação com os dias normais). Com cinco horas a mais no expediente, os profissionais realizaram mais de 60 exames de HIV, Hepatites A e B e Sífilis.

O número extremamente positivo de adesão fez com que a ação fosse incluída permanentemente no cronograma de atividades da unidade, segundo explica a coordenadora do ambulatório, Cláudia Spirandelli. “Foi um retorno excelente por parte da população. Muitas pessoas que chegaram aqui após as 18h disseram que o horário estendido facilitou o acesso. Nossa expectativa agora é realizar esse ação a cada dois meses”, pontuou.

Ao todo, foram realizados 65 testes rápidos para os quatro tipos de vírus. Destes, cinco deram positivo para sífilis, dois para hepatites e apenas um para HIV. Todos os pacientes já foram orientados e acolhidos pelo ambulatório, que conta com uma equipe multidisciplinar.

Diagnóstico Precoce

Especialistas indicam que quanto mais cedo ocorrer a descoberta da presença do vírus HIV no organismo, melhor será a eficácia do tratamentoantirretroviral, que contribui para a redução das chances de evolução para a Aids e melhora na qualidade de vida dos pacientes. Ao contrário do exame sorológico, que demora até dois dias para sair o resultado, o teste rápido tem o resultado entre 15 e 20 minutos. Para fazer o teste, os enfermeiros coletam uma gota de sangue, que é colocada na lâmina com o reagente.

Em casos que o resultado é positivo na primeira amostra, é realizada uma nova testagem com outro reagente. Se a segunda coleta apontar resultado negativo, um terceiro teste é feito e encaminhado para uma verificação mais apurada em laboratório.

Acolhimento
Quando os dois primeiros resultados são positivos, a coordenadora explica que o paciente já é acolhido pela equipe do Ambulatório. “Neste momento, já realizamos o atendimento com a enfermeira, para que seja feita a contagem viral. Posteriormente, é feito o encaminhamento para o infectologista e uma equipe multiprofissional no ambulatório a fim de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos portadores do vírus”, contou Cláudia Spirandelli.

Cláudia reforçou ainda que o teste não deve ser feito de forma indiscriminada e a todo o momento. É recomendando para quem tenha passado por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido, compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas e por transfusão de sangue, por exemplo.

O ambulatório em Uberlândia fica na Avenida Avelino Jorge do Nascimento, Bairro Roosevelt. O telefone para contato é (34) 3215-2444.

Free WordPress Themes, Free Android Games