Rafael Moia Filho*

“A democracia sobrevive quando a
inteligência do sistema compensa
a mediocridade dos atores”
Daniel Inneraty

Nós, brasileiros, estamos enfrentando a pior crise moral da nossa política desde que Cabral descobriu nossa terra. Nunca em tempo algum tivemos tanta corrupção, tantos parlamentares da Câmara e do Senado envolvidos com crimes de toda ordem e natureza penal.
É verdade, que nunca fomos um povo que se dedicou a votar com consciência e seriedade. Afinal de contas, reelegemos seguidas vezes esses bandidos travestidos de políticos para supostamente nos representarem, algo que nunca fizeram.
São tantos os casos que não caberiam nesse texto, mas os brasileiros sabem que não podemos nos dar ao luxo de reelegermos pessoas que representam setores empresariais, conglomerados bancários, grandes grupos financeiros, corruptores (Que financiam suas campanhas com dinheiro ilícito através de propinas), mas jamais atuam em favor do povo e da nossa Nação.
Não é mais uma questão ideológica, não é mais uma questão de escolha de partidos pura e simplesmente, pois praticamente todos foram envolvidos em escândalos financeiros e criminosos nas últimas décadas.
O PMDB, PSDB, PT E DEM são os maiores partidos, e os que na prática comandam o esquema mafioso que está destruindo o Brasil. O exemplo do Rio de Janeiro é inquestionável, milhões foram desviados pela quadrilha de Sérgio Cabral, recursos da saúde, segurança e educação foram parar em contas no exterior, na compra de brilhantes e obras de arte, num esquema de lavagem de dinheiro público poucas vezes visto no Brasil.
A agricultura está nas mãos do PMDB há 18 anos pelo menos, a pasta de transportes é um covil que não consegue duplicar estradas federais, nem impor obras de infraestrutura sem que haja superfaturamento e desvios de bilhões. Isso para ficar em dois exemplos de ministérios condenados pela corrupção, inércia e ineficácia.
O PT ajudou a destruir a ideia de que a esquerda poderia fazer algo positivo no comando da nação. Aparelhou o Estado, infiltrou membros de sua quadrilha, e possibilitou que um esquema de propinas e troca de favores com grandes empreiteiras, fosse levado aos quatro cantos do país e até ao exterior. Empresas como Odebrecht, OAS, UTC, Mendes Junior, Engevix, chegaram ao ponto sofisticado de terem em seus organogramas departamento de propinas.
Defendo uma tese de que devemos aos poucos, com seriedade e muita consciência eliminarmos da vida pública estes Deputados e Senadores eleição após eleição. Começando em 2018 nas eleições para Câmara Federal e 2/3 de renovação do Senado.
É simples, basta não votarmos em ninguém que esteja na Câmara Federal ou Senado exercendo seu mandato (Nosso, na verdade). Para não deixar brechas, precisamos ficar atentos aos vereadores de nossas cidades. Estes, em troca de muito dinheiro apoiam os políticos que estão no poder. Vamos avisar a eles que quem apoiar políticos com mandato em 2018, não terá nosso voto em 2020.
Cada eleitor tem de fazer isso, não custa, basta pararmos um pouco de delegar aos outros aquilo que nós devemos fazer, Em nome da ética e da honestidade, para o nosso bem, de nossos filhos e netos e da nossa Nação. As redes sociais e a internet são nossos aliados poderosos. Mãos a obra! Espalhe nas redes sociais: “Em 2018 na hora de votar, pesquise seu candidato, não vote de forma alguma em quem está exercendo mandato como deputado federal ou senador”.
“Fique de olho nos vereadores de sua cidade, não reeleja quem apoiar deputados e senadores com mandato em sua cidade na eleição de 2018”.

*Administrador de empresas e jornalista

Free WordPress Themes, Free Android Games
%d blogueiros gostam disto: